Editora Fósforo esclarece que Annie Ernaux não fez nenhuma exigência a respeito de sua vinda ao Brasil

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A escritora francesa Annie Ernaux não fez qualquer exigência para vir ao Brasil.

O esclarecimento é da editora Fósforo.

Neste sábado (19), a coluna afirmou que a vencedora do Prêmio Nobel de Literatura tinha colocado como única condição para a sua participação em um dos espaços da 20ª edição Flip dividir a mesa com o escritor carioca Geovani Martins.

A editora afirma que, "ao aceitar o convite para viajar ao Brasil, Annie Ernaux gentilmente concordou em realizar mais uma conversa em público com alguma escritora ou escritor brasileiro, mencionando que lera recentemente o volume de contos do escritor Geovani Martins, 'O sol na cabeça', publicado no Brasil pela Companhia das Letras e na França pela Gallimard".

Rita Mattar, editora de Ernaux, sugeriu então uma conversa em Paraty com ele, também convidado do festival, "que ela aceitou com interesse", segue a nota de esclarecimento.

"Annie Ernaux não fez nenhuma exigência e nem teve a chance de ler o romance de Martins, 'Via Ápia', que, recém-publicado no Brasil, ainda não foi lançado na França", finaliza a editora.