Edifício Andrea: 'puxadinho' irregular pode ter ajudado na queda

Colunas com falhas estruturais foram fotografadas e identificadas pela empresa. (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil do Ceará investiga se a construção de um andar irregular no Edifício Andrea pode ter contribuído para o desabamento do prédio. A queda aconteceu em 15 de outubro do ano passado, em Fortaleza (CE), matando 9 pessoas e soterrando outras 7, que foram resgatadas com vida.

A construção de um ‘puxadinho’ no oitavo andar não consta na ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) que previa a construção do condomínio e também não estava anotada no registro do prédio em cartório.

O andar irregular é um anexo do apartamento 701 e teria sido construído entre 1982 e 1983, de acordo com o registro imobiliário do Edifício Andrea, segundo informações do portal G1. A investigação das causas da queda da estrutura segue em andamento sob responsabilidade do 4º Distrito Policial.

Leia mais

Localizado no cruzamento da Rua Tibúrcio Cavalcante com Rua Tomás Acioli, no Bairro Dionísio Torres, as informações são de que o imóvel vinha passando por obras. O prédio tinha 14 apartamentos, sendo 2 por andar, e estavam ocupados no momento do desabamento, ocorrido por volta das 10h20.

ESTRUTURA PRECÁRIA

À época, um vídeo circulou nas redes sociais revelando a estrutura de pilastras do prédio, que estavam sendo reformadas. Nele, são mostradas as estruturas de duas pilastras que seriam do edifício residencial, envoltas em sacos plásticos e com vigas de ferro à mostra.

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-CE) também criou uma comissão para analisar a situação legal da construção. A ART é o documento que define os responsáveis técnicos por qualquer empreendimento de engenharia, arquitetura e agronomia.