Economia da China tem crescimento recorde no 1º trimestre: 18,3%; entenda

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Economia chinesa cresceu. (Foto: Getty Images)
Economia chinesa cresceu. (Foto: Getty Images)
  • China teve desempenho recorde no PIB no primeiro trimestre de 2021.

  • Números se comparam ao período do ano anterior, que teve também queda recorde.

  • Níveis gerais de crescimento ainda estão pouco abaixo do período pré-pandemia.

Os números relativos ao desempenho da economia chinesa no primeiro trimestre de 2021 mostram salto histórico em relação ao mesmo período do ano passado: um crescimento de 18,3% no PIB.

Leia também:

O aumento é o maior para o trimestre desde que os dados começaram a ser divulgados em 1992 e superam até a taxa de 15,3% registrada no primeiro trimestre de 1993.

Os números mostram uma expressiva retomada da economia chinesa após o impacto da pandemia do novo coronavírus no início do ano passado. O país, onde o foco da doença apareceu pela primeira vez antes de se espalhar para o mundo todo, começou a se recuperar apenas a partir do segundo trimestre de 2020.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

As informações são de reportagem do jornal The Wall Street Journal.

Mas os analistas alertam para uma distorção nesse número histórico. O aumento se refere a um trimestre anterior, o primeiro de 2020, onde houve também uma queda recorde no PIB, de 6,8%, justamente causada pela COVID-19.

China ainda se recupera da crise. (Foto: Kevin Frayer/Getty Images)
China ainda se recupera da crise. (Foto: Kevin Frayer/Getty Images)

Economistas ouvidos pelo jornal apontam que, descontada essa distorção, o PIB chinês teve um crescimento de cerca de 5,4%, ou seja, abaixo da tendência pré-pandemia, de cerca de 6%. O surgimento de novos focos pontuais da doença ao longo do último ano e um processo de vacinação ainda incompleto justificariam a dificuldade na retomada.

Pontos de atenção

A reportagem cita ainda alguns sintomas preocupantes na economia chinesa, entre eles aumento no nível global de desemprego, sinais de inflação, e receios em torno da formação de bolhas de ativos. Tensões geopolíticas e militares também ameaçam o desempenho econômico.

Mas, ainda assim, pelo menos uma grande indústria ouvida pelo jornal responsabiliza a firme condução da crise do coronavírus pelo governo comunista, que incluiu lockdowns de milhões de habitantes, pela rápida recuperação dos indicadores econômicos da nação asiática.

Agora, com a aceleração no processo de imunização da população com uso de vacinas, os índices de apetite de consumo devem aumentar ainda mais, segundo os analistas. E o principal medidor de desemprego observado pelo governo, daquele que ocorre em áreas urbanas, também diminuiu.

Ou seja, o cenário descrito pelos economistas é de que, apesar de ainda lidar com dificuldades, o primeiro país a enfrentar a crise do novo coronavírus demonstra, um ano depois, as bases de uma sólida retomada de sua atividade econômica para os próximos trimestres.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube