Economia criativa criou 600 mil empregos no terceiro trimestre de 2022

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O número de postos de trabalho ligados à economia criativa no Brasil chegou a 7,9 milhões no terceiro trimestre de 2022, um aumento de 9% em relação ao mesmo período de 2021. Isso representa a abertura de 600 mil vagas no setor, segundo dados do Observatório Itaú Cultural.

Houve, porém, uma queda de 1% na oferta de vagas em comparação com o segundo trimestre de 2022. Cerca de 59,1 mil postos de trabalho foram encerrados neste período.

"Os resultados do próximo trimestre nos permitirão entender melhor se esta queda é uma tendência ou se foi um ponto fora da curva e compreender as razões disso", avalia Eduardo Saron, presidente da Fundação Itaú.

Os trabalhadores de apoio da indústria criativa —um contador ou um advogado que presta serviços para empresas do setor, por exemplo— foram os que mais se beneficiaram do aumento da oferta de vagas entre o terceiro trimestre de 2022 e o mesmo período do ano anterior.

Segundo dados do Observatório Itaú Cultural, o grupo registrou um aumento de 16,4% no número de postos ofertados (413.652 mil novas vagas).

Já entre os trabalhadores especializados que atuam na indústria criativa (como arquitetos, publicitários, designers, e outros profissionais da gastronomia, moda e serviços empresariais e tecnologia da informação) houve queda de 2% na oferta de empregos.

O levantamento é feito a partir de dados da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua).