É possível ser alérgico ao seu próprio suor?

Seja bem-vindo ao “Estou Morrendo?”, uma coluna que ajuda a salvá-lo de suas pesquisas intermináveis sobre doenças no Google.

Será que sou alérgica ao meu próprio suor? Sempre que eu malho intensamente e fico toda suada, sinto uma coceira. Será que isso é normal e, como eu não costumo suar, não sabia como era a sensação? Não sei, mas eu sinto MUITA coceira quando estou suada. Fiz o autodiagnóstico de ‘alérgica ao suor’, sem ter pesquisado se algo assim realmente existe. Posso estar certa? Me ajudem.

Eu também sinto um pouco de coceira depois de malhar, e até agora achava que isso tinha relação com o fato de que o suor é salgado e, portanto, resseca a pele. No entanto, quando perguntei a uma dermatologista – Arielle Nagler, professora de dermatologia da NYU Langone Health – ela me disse que embora minha teoria fosse inteligente e lógica (palavras minhas, não dela), ela também é incorreta. “Teoricamente o suor pode ressecar, já que evapora e deixa a pele mais seca, mas eu não acho que esta seja a causa [da coceira],” disse ela.

A coceira não é alergia ao suor, disse a Dra. Nagler – mas é possível que a culpada seja uma reação desencadeada pelo suor. “As pessoas não são alérgicas ao suor, já que ele é produzido pelo seu próprio corpo,” ela explica. “Coisas que causam alergias são elementos estranhos, que seu corpo ataca. Então, em vez de ser o suor, pode ser o fato de que ele altera algo no desodorante ou perfume que a pessoa usa, e isso pode estar provocando a alergia”. Se você vai à academia usando perfume, por exemplo, é possível que o suor intensifique uma irritação subjacente que você já tem ao produto, mas que costuma passar despercebida.

Outro fator que precisa ser considerado: você, diferentemente de mim – alguém que nunca ficaria com preguiça em casa usando calça legging e top por horas depois de ir à academia – costuma continuar vestindo a roupa usada para fazer exercícios durante muito tempo após o treino? Se sim, este pode ser o seu problema. “Se você faz exercícios e continua usando as roupas de ginástica por horas, pode contribuir para o desenvolvimento de fungos que causam coceira,” diz a Dra. Nagler. “Ambientes quentes favorecem a presença dos fungos. Estas peças causam obstruções e coceira, então trocá-las imediatamente e tentar tomar um banho pode ajudar muito”. Algumas roupas ajudam a manter seu corpo seco durante o exercício, mas também bloqueiam a passagem de ar e aquecem a região, o que aumenta a probabilidade de sentir coceira.

Mas se você não está usando produtos perfumados e potenciais causadores de alergia na academia, e nem costuma ficar de leggings por horas depois do treino, pode ser que a sua pele seja, simplesmente, sensível ao exercício, de acordo com a Dra. Nagler. “Às vezes as pessoas podem ter urticária na pele quando estão se exercitando,” disse ela. “Um sinal de que este é o caso é quando você começa a coçar a pele e fica com linhas ou regiões vermelhas nos locais onde coçou”. Diversos aspectos podem causar esta reação, e a resposta nem sempre é óbvia – pode ser, por exemplo, um gatilho viral que vem e vai. Muitas pessoas que sentem este tipo de reação só a experimentam por um certo tempo e nunca mais vão passar por isso, segundo a Dra. Nagler. De forma geral, suar muito (mesmo que o suor venha acompanhado de um pouco de coceira) não costuma ser nada preocupante.

“O suor não é perigoso,” diz a Dra. Nagler. “Se a coceira que você sente costuma surgir acompanhada de outros sintomas, como inchaço na garganta ou na língua, ou uma falta de ar que vai além do esperado durante uma sessão de exercícios, pode ser preocupante, mas não há risco associado ao excesso de suor”. O suor é a forma do seu corpo de se refrigerar, e isso é algo positivo. No entanto, se o suor e a coceira subsequente estão tendo um impacto negativo na sua vida, há algumas coisas que você pode fazer. De acordo com a Dra. Nagler, aplicar botox nas axilas, tomar certos medicamentos para a alergia e usar desodorantes à base de cloreto de alumínio são alternativas que podem ajudar em alguns casos. Se a situação continuar a incomodá-lo, consulte um dermatologista, pois ele poderá indicar a melhor opção para o seu caso.

Katie Heaney