Duquesa Meghan vence processo de privacidade contra tabloide

Michael Holden
·1 minuto de leitura
Duquesa de Sussex, Meghan, durante evento em Londres

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - Meghan, a duquesa britânica de Sussex, venceu nesta quinta-feira a maior parte de sua batalha legal contra um tabloide depois que um juiz determinou que a publicação de trechos de uma carta particular que ela escreveu ao pai foi "patentemente excessivo, e portanto ilegal".

A esposa de 39 anos do príncipe Harry, neto da rainha Elizabeth, processou a editora Associated Newspapers depois que seu tabloide Mail on Sunday publicou partes da carta manuscrita que ela enviou ao pai, Thomas Markle, com quem ela não tem uma relação próxima, em agosto de 2018.

"Depois de dois longos anos de litígio, sou grata aos tribunais por responsabilizarem a Associated Newspapers e o The Mail on Sunday por suas práticas ilegais e desumanizadoras", afirmou.

"Estas táticas (e aquelas de suas publicações irmãs MailOnline e Daily Mail) não são novas; na verdade, acontecem há tempo demais sem consequência. O dano que causaram e continuam a causar é profundo", disse ela em um comunicado.

O juiz Mark Warby considerou que os artigos violaram a privacidade de Meghan, mas disse que algumas questões relacionadas aos seus direitos autorais sobre a carta teriam que ser resolvidas em um julgamento.

"A requerente tinha uma expectativa razoável de que os conteúdos da carta permaneceriam privados. Os artigos do Mail interferiram com esta expectativa razoável", disse Warby.

O jornal argumentou que a duquesa sempre pretendeu que os conteúdos da carta viessem a público e que isto fez parte de uma estratégia midiática, observando que, em documentos judiciais, ela admitiu ter debatido o assunto com seu secretário de comunicações.