Dulce María diz que gravidez e pandemia afetaram sua saúde mental

ANA BEATRIZ GONÇALVES
·4 minuto de leitura
*ARQUIVO* A cantora Dulce Maria. (Foto: Alexia Santi/Folhapress)
*ARQUIVO* A cantora Dulce Maria. (Foto: Alexia Santi/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mesmo grávida de oito meses, Dulce María, 34, não deixa o trabalho de lado. A cantora mexicana lança nesta sexta-feira (6) o single "Lo Que Ves No Es Lo que Soy", que faz parte do novo álbum "Origen", ainda sem data de lançamento.

Para a ex-RBD, a nova etapa profissional é um divisor de águas em sua vida. "É como um fechamento de ciclo e início de outro. Não é só pelos 30 anos [de carreira], vou fazer aniversário, ter a bebê, são muitas mudanças e tenho vontade de compartilhar com os meus fãs", afirma Dulce María, em conversa com os jornalistas por videoconferência à qual o F5 participou.

Casada com o empresário Paco Álvarez, com quem espera a primeira filha, María diz que a maternidade não é só flores. Para a cantora, a gravidez foi desgastante em decorrência da pandemia do coronavírus e que, por isso, não se encontra bem emocionalmente. "É complicado apesar de se dizer ser algo muito bonito, ainda mais em uma pandemia em que você está sozinha, se precisar ir ao médico no pré-natal é horrível porque você vai com medo, não pode ver seus amigos nem a sua família. Chega a depressão e tantas coisas ruins."

Uma das protagonistas da novela "Rebelde" (SBT, 2004 - 2006), a cantora explica que não vai participar da reunião do RBD porque vive um momento conturbado e a decisão foi a mais coerente -o show virtual "Ser o Parecer", um encontro histórico para os fãs do folhetim e do grupo musical, será em 26 de dezembro. "Não estou 100% fisicamente e emocionalmente. Tenho que cuidar da minha saúde. Infelizmente é um momento complicado. Gosto de estar 100% nas coisas, de me entregar, vibrar e sentir as pessoas."

Durante o bate-papo, Dulce María enalteceu sua história na banda mexicana, formada por Anahí, Maite Perroni, Alfonso Herrera, Christian Chávez e Christopher von Uckermann. Ela se diz agradecida por integrar o grupo que conquistou uma legião de fãs nos anos 2000. "Sei que no Brasil me apoiaram demais, impressionantemente. Quando saí da banda, eles me deram muito suporte para a minha carreira solo."

María ainda afirma que se o show da banda fosse ao vivo com plateia, ela pensaria melhor na proposta de participar, mesmo com todas as dificuldades do puerpério (período que vai do parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação).

"Gosto de estar perto das pessoas. Isso também foi uma das coisas que me causou muito ruído, muita tristeza: fazer um reencontro [do RBD] de maneira virtual. O que mais amo, o que mais desfrutei e o que sinto saudade e mais valorizo é justamente essa energia que se sentia cantando ao vivo, com as pessoas ali. Agora não dá. Se fosse algo assim, provavelmente eu teria me questionado muito mais."

Além de Dulce María, Alfonso Herrera (Poncho) também não participará do show virtual que será pago, com ingressos no valor de US$ 35 (cerca da R$ 197, cotação atual). Entretanto, a ausência da artista gerou bastante ruído entre os fãs. Segundo Google Trends, o nome dela foi o mais buscado no Brasil e no mundo, por sete dias, em outubro. Herrera não se pronunciou até o momento sobre sua ausência.

'ORIGEN'

Dulce María afirma que novo álbum musical "Origen" tem um significado muito especial e pessoal para ela, e espera que as 11 faixas inéditas também agradem os fãs, que a acompanha há mais de uma década e meia. A cantora explica que o novo trabalho não é tão comercial e tem uma cadência próxima ao pop folk.

"É algo que sempre defendi, de poder ser eu mesma. Muitos esperam muitas coisas de nós, mas o que importa é ser real, ser de verdade, e não fazer algo para caber em um molde. Sempre tentei transmitir minhas ideias, meus sonhos. Isso ajuda a me conectar com as pessoas", diz a artista ao reforçar que as canções são intensas, reflexivas e românticas.

Já a escolha de promover um novo álbum em um momento tão único de sua vida, que é a gestação, aconteceu por um simples motivo: tudo já estava feito. Dulce María afirma que não precisou trabalhar no projeto nos últimos meses. Apenas algumas coisas foram readaptadas devido à pandemia.

"Faz dois anos [que está pronto], e decidi fazer o lançamento agora justamente porque não preciso gravar nada, é algo que já está preparado e esperando para ser compartilhado com os fãs. De qualquer forma, agora eu não poderia fazer vídeos, mas posso compartilhar virtualmente ou digitalmente e, de alguma forma, me manter conectada com meu público."