Dubladora de Ariel no Brasil repudia críticas à atriz preta: "Qual a diferença?"

Halle Bailey como Ariel em
Halle Bailey como Ariel em "A Pequena Sereia". Foto: Divulgação/Disney

Resumo da notícia:

  • Dubladora da Ariel no Brasil repudia críticas à atriz preta no live-action

  • Marisa Leal exaltou o trabalho de Halle Bailey em "A Pequena Sereia"

  • Filme deve chegar às telonas em maio de 2023

A dubladora brasileira de Ariel usou as redes sociais para se pronunciar sobre o preconceito com a atriz negra que vive a protagonista no live-action de "A Pequena Sereia". Durante uma live, Marisa Leal repudiou as reações negativas ao trailer divulgado recentemente e exaltou o trabalho de Halle Bailey.

"Qual a diferença? É a personagem. O que a gente está interpretando é a história, a emoção, a personagem que queria conhecer o mundo e a Halle Bailey colocou a coisa de um jeito tão bonito. Uma atriz maravilhosa", declarou Leal sobre o filme que deve chegar às telonas em maio de 2023.

Na sequência, ela pontuou o quanto a escolha de Bailey é importante para representar garotas que nunca se viram na tela dessa forma. "Estão dando dislike porque ela não é a Ariel branca e ruiva. Mas ela é a Ariel, com todas as características de personagem, com todas as vontades, com todos os conflitos", afirmou.

"Acho isso muito importante. É representatividade? Sim. Tem que ter. Foi maravilhoso ver as meninas se vendo nela e falando 'Olha! Ela é negra, da minha cor'", completou.

Ela ainda comentou sobre outras dubladoras internacionais terem se posicionado e ressaltou a necessidade dos brasileiros também se posicionarem contra o preconceito e a favor da representatividade. Confira:

Halle Bailey fala sobre ataques racistas

Anunciada há quatro anos como Ariel, Halle e a irmã Chloe, sua dupla na música, relembraram os ataques de pessoas que não aceitavam uma mulher negra interpretando a princesa e como a atriz recorreu ao apoio da família. “É importante ter um forte sistema de apoio ao seu redor. É difícil carregar o peso do mundo sozinha”, afirmou Chloe à Variety.

A protagonista contou que teve uma conversa honesta com os avós, em que eles relembraram alguns episódios racistas que passaram durante a vida e tentaram mostrar uma nova perspectiva da situação: “Foi uma coisa inspiradora e linda ouvir as palavras de encorajamento, me dizendo: ‘Você não entende o que isso está fazendo por nós, por nossa comunidade, por todas as meninas pretas e pardas que vão se ver em você’”, afirmou. Clique aqui para saber mais.