Duas pinturas de Picasso são retiradas de um prédio que deve ser demolido em Oslo

·1 minuto de leitura
O mural de "Os Pescadores" de Pablo Picasso é retirado do "Bloco Y" de Oslo (Noruega)
O mural de "Os Pescadores" de Pablo Picasso é retirado do "Bloco Y" de Oslo (Noruega)

Dois imensos murais de gravura a partir das obras de Pablo Picasso foram retirados, nesta segunda-feira (27), do edifício em Oslo onde se encontravam e que deve ser demolido, anunciou a empresa encarregada por esta operação delicada e polêmica.

Embutidas em grandes estruturas metálicas, as duas obras desenhadas por Picasso e gravadas em concreto pelo norueguês Carl Nesjar serão movidas muito lentamente, a menos de 1 km/h, em um veículo especialmente adaptado.

Os dois murais serão levados para um depósito situado a algumas dezenas de metros, afirmou Statsbygg, a empresa pública norueguesa encarregada pelo trabalho.

"A operação é muito lenta" e deve terminar "na quinta ou sexta-feira", disse Pål Weiby à AFP.

As obras estavam em dois locais distintos do "Bloco Y", um edifício governamental construído em 1969 e que foi danificado durante o ataque do extremista de direita Anders Breivik em 22 de julho de 2011.

O mural de "Os Pescadores" representa três homens arrastando os peixes capturados para seus barcos, enquanto em "A Gaivota" esse pássaro é visto com as asas abertas comendo um peixe.

Ambas as obras serão transferidas para novos prédios do governo no centro de Oslo e cuja construção deve ser concluída em 2025.

A operação gerou críticas, tanto na Noruega como no exterior, e várias pessoas se mobilizaram para preservar o "Bloco Y", e pedem que seja renovado como será feito com o "Bloco H".

O "Bloco H" abrigou os escritórios do primeiro-ministro até que Breivik explodiu um caminhão com 950 kg de explosivos.