Doses da vacina Moderna começam a ser distribuídas nos Estados Unidos

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Boxes containing the Moderna Covid-19 vaccine are prepared to be shipped at the McKesson distribution center in Olive Branch, Mississippi, on December 20, 2020. (Photo by Paul Sancya / POOL / AFP) (Photo by PAUL SANCYA/POOL/AFP via Getty Images)
Boxes containing the Moderna Covid-19 vaccine are prepared to be shipped at the McKesson distribution center in Olive Branch, Mississippi, on December 20, 2020. (Photo by Paul Sancya / POOL / AFP) (Photo by PAUL SANCYA/POOL/AFP via Getty Images)

A vacina da Moderna contra o coronavírus começou a ser distribuída nos Estados Unidos neste domingo (20). A previsão é de que as 5,9 milhões de doses comecem a ser dadas às pessoas a partir desta segunda (21). São necessárias duas doses por pessoa.

Profissionais de saúde e residentes de lares de longa permanência terão prioridade, de acordo com o conselho do Comitê Consultivo em Práticas de Imunização. Os grupos seguintes a serem vacinados ainda serão definidos neste domingo.

Leia também

A vacina, que usa uma tecnologia de RNA, foi autorizada para aplicação na população no sábado (19) pelo Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) americano.

Apesar de usar a tecnologia semelhante a da Pfizer, a vacina da Moderna não precisa de temperaturas tão baixas de armazenamento: pode ser mantida em 20ºC, ao invés dos -70ºC da Pfizer.

Segundo a imprensa norte americana, a expectativa é de que “trabalhadores essenciais” fiquem em segundo lugar na fila, já que não há doses suficientes da vacina para a população americana inteira nos próximos meses. Essa categoria incluiria motoristas de ônibus, balconistas e outros, que se infectam com mais frequência.

Há também quem defenda que pessoas com 65 anos ou mais devem ser as próximas, junto com pacientes com determinados problemas de saúde - porque esses são os que estão morrendo mais.

Ainda podem ser incluídos presidiários entre os grupos com prioridade.

Os estados, entretanto, podem determinar suas próprias regras, independente da decisão do comitê do CDC.

Ao menos 15 estados americanos reclamaram de que vão receber, nesta semana, menos doses da vacina da Pfizer do que as inicialmente prometidas.