Dor da realeza pela rainha se mostra durante a pompa cerimonial

Rei Charles 3º e príncipe William se dirigem à Abadia Westminster

Por Estelle Shirbon

LONDRES (Reuters) - Os parentes mais próximos da rainha Elizabeth pareciam consternados em seu funeral nesta segunda-feira, quando tomaram seus lugares em procissões meticulosamente coreografadas que, no entanto, traíram as altas emoções do dia.

O filho de Elizabeth, o rei Charles, e seus três irmãos mais novos, Anne, Andrew e Edward, marcharam atrás da carruagem puxada por 142 marinheiros da Marinha Real que levaram o caixão da rainha para a Abadia de Westminster, nas proximidades de Westminster Hall.

Atrás deles vinham os filhos de Charles, os príncipes William e Harry, e outros membros seniores da família real, seus rostos sérios mostrando o impacto emocional do momento solene.

Charles e William, o herdeiro do trono, seguiram juntos para o local em um carro real, celebrados e aplaudidos por uma multidão de apoiadores em luto que se alinhavam nas ruas do centro de Londres para testemunhar um dia de cerimônia lúgubre.

Mas a partir do momento em que o caixão da rainha começou a sair, levado por carregadores, todos se calaram e a realeza marchou ao som de gaitas de foles e do badalar de um sino.

Charles, Anne, Edward e William, todos vestidos com uniforme militar cerimonial, saudaram quando o caixão foi retirado da carruagem de armas em frente à abadia.

Após 11 dias de mudanças e atividades importantes desde que sua mãe morreu, Charles parecia perturbado e exausto enquanto os carregadores levavam o caixão para a abadia pela Grande Porta Oeste para o funeral.

Os membros da realeza seguiram o caixão pelo corredor, com imagens da televisão mostrando a tristeza em seus rostos.

Após a missa, a realeza mais uma vez seguiu o caixão enquanto era carregado para fora da abadia e colocado de volta na carruagem de armas. De pé nos degraus da frente da abadia, Charles fixou o olhar no caixão de sua mãe.

A realeza então se juntou a outra procissão solene pelas grandes avenidas do centro de Londres em direção ao Hyde Park Corner, onde o caixão seria colocado em um carro funerário para ser levado ao Castelo de Windsor, o local de descanso final da rainha.

(Reportagem de Estelle Shirbon)