Dono da Havan pode ser convocado a prestar depoimento no Congresso

Luciano Hang, dono da Havan, em desfile militar de 7 de setembro de 2019. Foto: Reprodução / Facebook

Luciano Hang, dono da Havan, está na mira do Congresso. O deputado federal Rui Falcão (PT-SP) apresentou requerimento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Câmara dos Deputados criada para discutir notícias falsas (fake news) exigindo o comparecimento do empresário bolsonarista.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

O PT quer que Hang preste depoimento à CPMI das Fake News e responda se “empresas brasileiras pagaram agências de marketing para fazer disparos de mensagens de Whatsapp a favor do então candidato e hoje presidente do Brasil” Jair Bolsonaro, que tem o apoio do dono da loja de departamentos Havan.

Leia também

No texto apresentado à direção da CPMI, Falcão diz que “fontes sigilosas da imprensa afirmam que empresários brasileiros financiaram a compra de software para disparar mensagens com notícias em massa, inclusive muitas delas falsas”.

Segundo uma reportagem da Folha de S.Paulo publicada em junho, Hang teria sido um dos empresários brasileiros bolsonaristas que pagaram para uma agência espanhola fazer o disparo em massa de mensagens de WhatsApp, o que, se comprovado, pode configurar crime eleitoral.

Hang já foi condenado pelo Tribunal Superior Eleitoral por ter supostamente coagido funcionários da Havan a votarem em Bolsonaro em 2018. Em outro caso, foi obrigado pelo TSE a apagar uma publicação impulsionada no Facebook em que o empresário recomendava o voto em Bolsonaro.

O pedido do PT para que Hang seja convocado ainda precisa ser votado pelos membros da CPMI.