Domingas: uma boa personagem numa novela divertida

Vivianne Pasmanter como Domingas em ‘Novo Mundo” (Foto: Raquel Cunha/ Globo)

Duas semanas é tempo suficiente para saber se uma novela vai engrenar ou não. Pode-se dizer, portanto, que ‘Novo Mundo’, cuja estreia ocorreu no dia 22 de março, passou do período de experiência e mostrou ao que veio. No caso do folhetim das seis, o ritmo vai bem, obrigado. O texto de Thereza Falcão e Alessandro Marson dosa espertamente ação, romance e comédia – aliás, faz algum tempo que não temos personagens tão divertidos sem cair na fanfarronice do “núcleo pobre” – até porque em ‘Novo Mundo’ quem não é nobre, é pobre.

O destaque fica para Vivianne Pasmanter, irreconhecível como Domingas, a dona da taberna Estalagem dos Portos, uma pocilga que serve carne de pombo como se fosse de frango.  A atriz conseguiu conquistar a simpatia do espectador com uma personagem sebenta, desbocada, mal-educada, interesseira, desonesta e dona de uma risada – ou melhor, ronco – exasperante (risada, aliás, que até virou assunto nas redes sociais).

Mas Domingas também é uma personagem riquíssima e complexa – boa amostra para justificar aquela máxima de que atores e atrizes preferem os vilões aos mocinhos. Não que Germana seja vilã: ela está mais para um tipo repreensível do que para o odiável – muito embora seja dona de frases do tipo: “a escravidão é boa, desde que você não seja o escravo”.

Vivianne Pasmanter é uma daquelas atrizes espertas que sabe conduzir bem a carreira. Percebeu que a beleza não dura para sempre e que devia se fiar no talento (que tem de sobra) para preservar seu lugar em cena. Antes de Domingas, sua última personagem em novela foi a empresária Lili Monteiro, de ‘Totalmente Demais’, mas, paralelamente, ela tem arriscado papéis mais ousados, como a irmã Damasceno, de ‘Dois Irmãos’.

Veja também:

Silvio Santos escolhe suas sucessoras no comando do SBT

Longe da TV desde 2000, Flávio Silvino completa 46 anos

Também foi espertíssima ao aceitar um papel que a descaracterizaria fisicamente. Muita atriz boa fez isso. Lembre aí de Anne Hathaway em ‘Os Miseráveis’, Charlize Theron em ‘Monster: Desejo Assassino’ e, no Brasil, Grazi Massafera em ‘Verdades Secretas’. Parece óbvio que qualquer um que lida com atuação deveria aceitar todos os tipos de papéis, mas durante muitos anos a ala das mocinhas & galãs da Globo evitaram personagens feios e malvados.  Ainda bem que isso está mudando.