Documentário 'Contra o Golpe' mostra bastidores dos atos pela democracia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O curta documental "Contra o Golpe", que registrou os atos pela democracia de 11 de agosto, será exibido pela primeira vez na manhã desta quinta (15), na Faculdade de Direito da USP, no centro de São Paulo.

O filme independente marca a estreia dos irmãos Lucas e Gabriel Mesquita na direção de uma produção. São eles também os responsáveis pelo longa "Eles Poderiam Estar Vivos" que estreia no próximo dia 22, e fala sobre supostos crimes do governo de Jair Bolsonaro (PL) durante a pandemia.

Os dois projetos contam com o apoio do Grupo Prerrogativas.

Em "Contra o Golpe", Lucas e Gabriel lideraram uma equipe de cinco cinegrafistas que acompanharam a manifestação a favor da democracia que ocorreu no dia 11 de agosto, na Faculdade de Direito da USP. Na ocasião, foi lida a "Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito", assinada por mais de 1 milhão de brasileiros.

Eles também gravaram os bastidores do ato na véspera de sua realização. O curta conta ainda com o depoimento de personalidades que participaram do protesto, como o escritor Marcelo Rubens Paiva, a advogada Sheila de Carvalho e o diretor da Faculdade de Direito da USP, Celso Campilongo.

"O objetivo foi registrar a importância histórica da data e dos atos pela democracia", afirma Lucas Mesquita. O seu irmão Gabriel, que mora em Vancouver (Canadá), veio para o Brasil especialmente para gravar as manifestações.

"Contra o Golpe" acompanha também as manifestações fora do Largo São Francisco ao longo do dia 11 de agosto.

Após a pré-estreia nesta quinta (15), o curta estará disponível na sexta (16) nas redes sociais e no canal do YouTube do grupo Prerrogativas e do filme "Eles Poderiam Estar Vivos".

Para fazer os dois projetos, os irmãos Lucas e Gabriel Mesquita lançaram uma campanha de financiamento coletivo, que pode ser acessada neste link: https://apoia.se/elespoderiamestarvivos.