DJ Rennan da Penha, do 'Baile da Gaiola', tem prisão decretada por associação ao tráfico

DJ Rennan da Penha (Foto: Reprodução / Instagram)

Rennan da Silva Santos, mais conhecido como DJ Rennan da Penha – idealizador do ‘Baile da Gaiola’, promovido no Complexo da Penha, no Rio de Janeiro – teve sua prisão decretada pela Justiça do Rio por associação para o tráfico de drogas.

Receba novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais) no seu Whatsapp

De acordo com o jornal “Extra”, após ser inocentado em primeira instância, o artista acabou condenado, em segunda instância, por conta de um recurso do Ministério Público do Rio (MP-RJ). Ele deverá cumprir, de acordo com a decisão, 6 anos e 8 meses em regime fechado.

A decisão da Justiça do Rio foi publicada na última segunda-feira (18) e decretou também a prisão de outros dez denunciados, além de Rennan. De acordo com o jornal, a publicação da Justiça afirma que o desembargador Antônio Carlos Nascimento Amado, da Terceira Câmara Criminal, aponta que o DJ atuava como “olheiro” do tráfico, além de organizar bailes e produzir músicas que enalteciam traficantes.

Leia Mais: MC Guimê é preso por porte de droga em São Paulo

Ainda segundo o ‘Extra’, as testemunhas de defesa – um ativista e um empresário do DJ – falaram que alertas sobre a movimentação de policiais são comuns entre moradores de comunidades, na tentativa de se proteger de possíveis tiroteios ou de danos aos carros causados pela entrada do ‘caveirão’ em ruas estreitas. O empresário do artista ressaltou que as músicas tocadas pelo DJ nos bailes retratam a realidade das favelas e não enaltecem os criminosos.

O jornal traz também um depoimento de Rennan, que teria declarado que “não tem tempo disponível nem necessidade financeira de exercer a atividade de ‘olheiro'”, pois realiza em média 15 (quinze) bailes por semana”.

Rennan da Penha já havia causado polêmica em março de 2018 quando um vídeo na internet mostrou o DJ agredindo um menor de idade. Nas imagens, Rennan aparecia puxando os cabelos, dando tapas no rosto, socos e joelhadas. Rennan, na época, compartilhou um vídeo em sua rede social assumindo a agressão e justificando a atitude.