DJ Ivis é endossado por outros artistas: até quando a cumplicidade masculina vai absolver o homem e culpabilizar a mulher?

·3 min de leitura

DJ Ivis, (Iverson de Souza Araújo), um artista famoso da música, agrediu a ex mulher Pamella Holanda em julho de 2021. Não havia qualquer dúvida que ele havia cometido um crime, pois foi filmado agredindo sua ex esposa. Ele ficou detido por mais de três meses e saiu em outubro desse ano, respondendo em liberdade o processo de violência doméstica contra Pamella.

Desde que a violência ocorreu, DJ Ivis conquistou seguidores e o perdão de uma legião de pessoas que dizem “ele cometeu um erro, mas não precisa pagar por isso a vida toda” ou “o cara cometeu um erro, mas é um artista incrível”, o que me choca especialmente é o perdão dos homens. Como um pesquisador das masculinidades, o que aconteceu de lá para cá não me surpreende, mas de forma otimista eu pensei que 2021 poderia terminar diferente, ledo engano.

Homens apoiam outros homens acima de qualquer situação

No último sábado (5), quatro de dezembro, Tarcisio do Acordeon, outro artista de destaque do piseiro, gênero musical que tem ganhado cada vez mais espaço, chamou DJ Ivis para subir ao palco, enquanto a plateia cantava "Esquema Preferido", um dos grandes sucessos de Ivis. Tarcisio ao chamar Ivis ao palco endossou a narrativa do homem “que só cometeu um erro e errar é humano”, mas a plateia agiu de acordo, vaiou tanto que Ivis saiu do palco antes da música terminar.

No mesmo sábado, Wesley Safadão demonstrou apoio ao DJ Ivis ao convidá-lo para o seu show e João Gomes, outra estrela do piseiro, demonstrou apoio nas redes de Ivis.

É completamente absurdo DJ Ivis ganhar apoio de qualquer pessoa, mas principalmente de artistas são mobilizadores de opinião, e usarem essa exposição para defender pessoas que foram flagradas cometendo um crime. Ivis ainda não foi penalizado. E enquanto esses artistas endossam o DJ, não demonstram a mesma preocupação com Pamella Holanda, que vê seu agressor em liberdade e pode estar em risco.

Essa força para perdoar um homem não é a mesma que é aplicada às mulheres. É nesse aspecto que vemos os efeitos do machismo inclusive no perdão e na segunda chance, homens apoiam outros homens acima de qualquer situação.

Não, as coisas não podem continuar como se nada tivesse acontecido, não, errar é humano, mas fingir que nada aconteceu é ser cúmplice do erro, não se pode passar pano para isso. Ivis precisa lidar com as consequências do que fez, a Justiça ainda não foi feita. Ao tentar apagar o crime cometido por Ivis, esses artistas dão o exemplo errado, transformando o agressor em vítima e deixando a mensagem que a violência contra a mulher é algo que pode ser relevado ou que se possa seguir impune alguém que comete um crime contra a mulher.

As filmagens são incontestáveis, e por mais que Ivis e esses artistas estejam tentando forçar uma retomada da carreira, o público não deixará passar em branco. Aos homens que estão lendo esse texto, entendam que esse exemplo precisa ser levado para a vida de vocês, se o seu amigo comete um crime, não interessa se ele tem família, se tem mãe, se “até tem amigas mulheres”, ele precisa pagar pelo crime que cometeu, e jamais se deve passar pano para isso, comecemos a nos responsabilizar pelos nossos erros e por nos posicionarmos adequadamente em situações assim.

Errar é humano, mas fingir que nada aconteceu é ser cúmplice do erro

Um dos grandes males da masculinidade tóxica é a cumplicidade masculina, enquanto continuarmos tentando achar justificativas para absolver agressores, esquecemos que a vítima de verdade é a mulher, nos lembremos disso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos