Disfunção erétil: entenda o problema que atinge 30% dos homens

A disfunção acometa 30% dos homens (Getty Images)

A disfunção erétil, ou impotência sexual masculina, é a incapacidade do homem em manter uma ereção para conclusão do ato sexual. Mesmo afligindo cerca de 30% dos homens do planeta, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a impotência pode ter graves consequências sobre a autoestima masculina e muitas vezes vir a ser ignorada pelo indivíduo como algo “casual”.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Atualmente, no Brasil, calcula-se que mais de 25 milhões de homens com mais de 18 anos tenham algum grau de impotência, que pode ser classificada como leve, moderada ou grave. Mais de um milhão de novos casos surgem a cada ano, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia.

Leia também

Disfunção erétil não é uma dificuldade pontual

É necessário pontuar que apenas é considerada disfunção erétil quando o homem não consegue manter a ereção entre 50% a 75% das tentativas de relações sexuais. Logo, a impotência também pode ser confundida com algo menos recorrente, como situações ocasionais de incapacidade sexual, que podem ser causadas por diversos outros motivos.

Causas da impotência

Apesar de ser mais frequente a partir dos 40 anos, a disfunção também pode atingir os mais jovens. Ela pode decorrer de problemas físicos como pressão alta, diabetes, desequilíbrios hormonais ou excesso de álcool e psicológicas como ansiedade, stress ou depressão. As últimas podem, em alguns casos, provocar que a disfunção se retroalimente pela própria questão da autoestima.

Autoestima faz homens evitarem busca de médicos

Segundo uma pesquisa apresentada pelo Instituto H. Ellis, em São Paulo, os homens, em média, só buscam ajuda médica após quatro anos do início do problema. Isso dificulta tanto a análise dos dados de quantos podem estar sendo afetados pelo problema quanto o tratamento dos indivíduos.