Disco de Fiona Apple foi o queridinho da crítica em 2020

LUCAS BRÊDA, DANIEL MARIANI E DIANA YUKARI
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Fiona Apple teve o álbum mais bem avaliado pela crítica musical em 2020. “Fetch the Bolt Cutters”, lançado em abril, foi lembrado quase de maneira unânime nas principais listas de melhores do ano dos veículos de imprensa americanos. Segundo estudo da reportagem, ela foi citada em 12 das 13 listas analisadas. O levantamento inclui as listas de jornais como o New York Times e o Los Angeles Times e também veículos especializados, como o site Pitchfork e a revista Rolling Stone. Quinto disco de Fiona Apple, “Fetch the Bolt Cutters” ficou entre os três melhores discos em nove das 13 listas analisadas. Além da boa recepção pela crítica, o álbum teve cerca de metade de suas músicas frequentando o Top 200 do Spotify neste ano. Entre os discos que foram sucesso de público e também de crítica estão “Folklore”, de Taylor Swift, que teve todas as suas canções entre as mais tocadas da plataforma de streaming. “YHLQMDLG”, do porto-riquenho Bad Bunny, apareceu em cinco listas — tendo ficado em terceiro lugar na da Rolling Stone — e também teve todas as 20 músicas do álbum no Top 200 do Spotify. Ele, aliás, foi o artista mais ouvido do ano no mundo na plataforma. Entre os artistas que tiveram bom desempenho entre os críticos mas não fizeram sucesso no Spotify estão Bob Dylan e Phoebe Bridgers. Nem “Rough and Rowdy Ways” nem “Punisher” tiveram canções entre as mais tocadas, mas eles foram citados, respectivamente, em seis e oito listas de melhores do ano. Além de Bad Bunny, as listas americanas neste ano reconheceram alguns artistas de fora do país. A japonesa Rina Sawayama, que faz um pop millennial e caótico, aparece em duas das listas. Já Tiwa Savage e Burna Boy, ambos nigerianos, também foram citados. Nesses casos, os artistas cantam em inglês, enquanto Bunny canta só em espanhol. O gênero com maior presença nas listas foi o chamado art pop, seguido pelo hip-hop. Em geral, art pop é um termo genérico usado para designar discos conceituais e mais “refinados” de artistas com apelo popular. Ritmos latinos, como o reggaeton, aparecem com destaque, apesar da pouca presença de artistas latinos nas listas — o que indica que nomes de outras partes do mundo também estão sendo influenciados por esses estilos. O afrofuturismo, termo usado pelo Spotify para classificar o pop contemporâneo feito no continente africano, aparece com duas citações, graças aos nigerianos citados nas listas.