Diretora do Datafolha acredita que Bolsonaro recebeu 'voto útil de última hora'

Diretora do Datafolha acredita que Bolsonaro recebeu 'voto útil de última hora' credit:Bang Showbiz
Diretora do Datafolha acredita que Bolsonaro recebeu 'voto útil de última hora' credit:Bang Showbiz

A diretora do Datafolha, Luciana Chong, disse acreditar que a discrepância entre as pesquisas eleitorais e o resultado das urnas no último domingo (2) foi devido ao "voto útil em Jair Bolsonaro (PL) na última hora".

Em entrevista à GloboNews, a coordenadora do instituto de pesquisa justificou que "um movimento de última hora" a favor do atual presidente - o qual teria partido do sentimento "antipetista" incitado pelo candidato do PDT, Ciro Gomes -, explica o erro.

"Pesquisa não é prognóstico. Cada pesquisa é a fotografia de um determinado momento. O resultado final é só na urna. Ao longo de toda a campanha, o Ciro ajudou a alimentar o antipetismo. Mas na hora do voto, parte dos eleitores movidos por esse aspecto desistiram dele e escolheram Bolsonaro", afirmou Luciana.

Segundo a pesquisa do Datafolha, o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, tinha 50% das intenções de voto no dia anterior às eleições, enquanto o atual presidente contava com 36%. Entretanto, Lula conquistou 48,4% nas urnas, e Bolsonaro 43,2%.

Os dois presidenciáveis mais votados na primeira fase da disputa se enfrentarão no próximo dia 30. Pela primeira vez na história, o pleito será entre dois políticos que já ocuparam o cargo de chefe de Estado.