Diretor de 'Maya e os 3 Guerreiros' diz querer inspirar gerações com heroína épica

·3 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Foi com o intuito de também ajudar no empoderamento feminino das novas gerações que o criador e produtor executivo Jorge R. Gutierrez e a consultora criativa Sandra Equihua pensaram no tema principal da nova animação da Netflix: "Maya e os 3 Guerreiros", na plataforma a partir do dia 22.

Na trama, uma jovem líder precisa combater tudo e todos para salvar o mundo de seres malignos. Para isso, demonstra força, garra e determinação para ultrapassar obstáculos e quebrar barreiras, algo que pode ser transportado para a vida real.

"A mensagem que desejamos passar é que o que for para ser, depende só de nós. A personagem Maya se torna uma espécie de bússola da história e não importa o quão louco o mundo esteja, é preciso lidar com suas escolhas e atitudes. Quem é forte pode mudar o mundo", define Gutierrez em entrevista à reportagem.

Consultora criativa do projeto e mulher de Gutiérrez, Sandra Equihua diz que sempre esteve de olho nas novas gerações de mulheres e que isso foi levado em conta na hora de moldar as características da protagonista guerreira.

"Foi muito emocionante. Queríamos tocar essa nova leva de guerreiras femininas que está chegando ao mundo. As mulheres precisam pegar essa liderança e exaltá-la", explica. A animação é uma das novidades da Netflix para outubro.

A narrativa se passa em um mundo fantástico cheio de magia e controlado por quatro reinos. Maya é uma valente e rebelde princesa guerreira que está prestes a completar 15 anos. Porém, tudo muda quando os deuses do submundo chegam e anunciam que sua vida deve ser oferecida como sacrifício ao Deus da Guerra.

Isso acontece devido ao passado secreto da família da jovem. Caso ela não se entregue, o mundo enfrentará a vingança dos deuses. Para salvar sua família, amigos e ela própria, Maya embarca em uma jornada emocionante para cumprir uma antiga profecia que diz que a chegada de três grandes guerreiros vai ajudar a derrotar os deuses e salvar a humanidade.

A nova aventura animada da Netflix possui nove episódios com muita adrenalina e referências mexicanas, tais como cores, músicas e símbolos. Ambientada em um mundo fictício, a história conta com partes emocionantes e de humor e mistura as mitologias Asteca, Maia, Inca com a cultura caribenha moderna.

"Todas as referências mexicanas fazem parte da cultura pop. Mas também há referências de videogames, animes e filmes que nós amamos de diferentes partes do mundo. Eu diria que isso já tem sido feito na América. E nós também fizemos acontecer", avalia Gutiérrez.

Por mais que não tenha a pretensão de ver "Maya e os 3 Guerreiros" se tornar uma das animações mais importantes da plataforma, o criador diz que pensa na identificação rápida dos espectadores.

"Uau, seria muita pressão em nossos ombros (risos)", diverte-se o diretor após uma pergunta sobre as possibilidades de a série animada se tornar número um na Netflix em pouco tempo. "Nós temos humildade e isso já nos deixa felizes", reforça.

Para Sandra, o fundamental é pegar o público pelo amor. "Se as pessoas gostarem já estaremos felizes. Gostaríamos que elas se lembrassem da série como inspiração. Queríamos criar personagens que as pessoas iriam apaixonar-se", opina.

A ideia de criar uma animação épica com direito a guerras, vilões de outros mundos e poderes especiais dos personagens já vinha de longa data na mente de Gutiérrez. Ele conta que desde quando era criança já pensava como seria interessante assistir a uma animação como a que agora tira do papel e apresenta ao público.

"Na infância eu amava samurais e aquilo me afetava muito. Um dia disse ao meu pai que eu queria ser um samurai, um guerreiro real. E isso [esse desejo de criança] pode ser visto na história."

Conhecido por trabalhos como "El Tigre: As Aventuras de Manny Rivera" (2007-2008) e pelo filme de animação "Festa no Céu" (2014), o diretor Gutiérrez finaliza dizendo que tem mais projetos por vir em breve na Netflix.

"Nós estamos felizes porque temos muitas séries e projetos em análise. Quem gostar de 'Maya e os 3 Guerreiros' pode ficar tranquilo, pois viremos com muitas novidades", encerra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos