Diretor do Butantan confirma que governo comprará todas as doses de Coronavac

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, declarou neste sábado (9) que o Ministério da Saúde comprará todas as 6 milhões de doses da Coronavac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida em parceria entre o órgão do governo de São Paulo e o laboratório chinês Sinovac.

A ideia do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é incluir a vacina no Plano Nacional de Imunização (PNI) e gerir um único calendário de distribuição em todo o país. Apesar da decisão, o chefe do Executivo tem boicotado a vacinação em discurso para apoiadores e durante suas lives no Palácio da Alvorada, como forma de se opor ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Leia também

“Ontem de noite tive reunião com os técnicos do Ministério da Saúde. No momento, o Butantan tem 6 milhões de doses e serão incorporadas pelo ministério, a medida que houver liberação do uso emergencial. Essas vacinas serão distribuídas por todos os estados de forma proporcional, obedecendo critérios demográficos e número de pessoas nas faixas de risco. Todos os estados serão atendidos. Com essas e mais 2 milhões vindo pela Fiocruz. Teremos em janeiro 8 milhões de doses para iniciar a campanha [nacional] de vacinação”, afirmou Dimas Covas.

Durante evento do Centro Universitário Claretiano de São Paulo, o executivo do Butantan também disse que a expectativa do instituto e do Ministério da Saúde é que a distribuição da vacina comece em até 48 horas depois da liberação do uso emergencial da Coronavac pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Espera-se que isso comece tão logo a Anvisa libere. Em 24 a 48h depois que a Anvisa liberar, eles já teriam condição de começar a vacinação”, complementou. As declarações foram divulgadas pelo portal G1.