Diretor diz que Sharon Stone mente sobre cena da "cruzada de pernas"

·2 minuto de leitura

Resumo da notícia:

  • Paul Verhoeven, diretor de "Instinto Selvagem" (1992), negou a versão de Sharon Stone para a gravação da icônica cena da "cruzada de pernas"

  • Segundo o diretor holandês, a atriz concordou em aparecer sem calcinha no filme

  • "Ela sabia exatamente o que estávamos fazendo", disse o cineasta

Paul Verhoeven, diretor de "Instinto Selvagem" (1992), negou a versão de Sharon Stone para a gravação da icônica cena da "cruzada de pernas" do longa. Ela afirma ter sido enganada pelo cineasta para aparecer sem calcinha no filme.

Em entrevista à Variety, o cineasta holandês de 82 anos deu a sua própria versão sobre os bastidores do clássico do cinema. “Ela sabia exatamente o que estávamos fazendo", garantiu ele.

Leia também:

"Eu disse a Sharon que [o filme] era baseado na história de uma mulher que eu conheci quando era estudante, que cruzava suas pernas sem calcinha regularmente em festas”, contou o diretor.

“Quando minha amiga e eu dissemos que podíamos ver a vagina dela, ela disse: ‘Claro, é por isso que faço!’’, continuou Verhoeven. "Sharon e eu decidimos fazer uma sequência semelhante”, finalizou.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

A versão de Sharon Stone

L'actrice Sharon Stone et le réalisateur Paul Verhoeven en mai 1992 à Cannes, France. (Photo by Pool ARNAL/GARCIA/PICOT/Gamma-Rapho via Getty Images)
Sharon Stone e Paul Verhoeven em 1992, no Festival de Cannes, divulgando "Instinto Selvagem" (Photo by Pool ARNAL/GARCIA/PICOT/Gamma-Rapho via Getty Images)

Em seu autobiografia The Beauty of Living Twice' ("A Beleza de Viver Duas Vezes", em tradução livre), Sharon Stone contou que chegou a dar um tapa na cara de Paul Verhoeven após descobrir que apareceria com a vagina à mostra no filme.

"Fui chamada para assistir ao filme após encerrarmos as gravações”, escreveu a atriz de 63 anos. “Não éramos apenas eu e o diretor, era uma sala cheia de agentes e advogados, a maior parte deles não tinha nada a ver com o projeto."

"Foi assim que vi a cena com a minha vagina pela primeira vez, após me dizerem que ‘não veremos nada, só precisamos que você remova a calcinha por ela estar refletindo na luz e assim dá para saber que você está de calcinha’”, continuou a atriz.

“Sim, há muitos pontos de vista em relação a esse tema, mas levando-se em conta que sou eu a dona da vagina em questão, posso dizer: os outros pontos de vista são uma besteira. Era eu e as minhas partes lá. Eu decidi fazer", prosseguiu.

"Eu fui até a sala de projeção e dei um tapa na cara do Paul e saí, entrei no meu carro e liguei para o meu advogado, Marty Singer", finalizou a atriz, que teria autorizado a cena após refletir sobre a sua carreira. Hoje, ela acredita que teve portas fechadas na carreira por ser tida como uma "mulher difícil".

“Eu tive opções. Então pensei e pensei e escolhi permitir que a cena ficasse no filme. Por quê? Porque era correto para o filme e para a personagem e porque, no fim das contas, fui eu que fiz”, finalizou ela, que recentemente se comparou a Meryl Streep.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos