Diretor da Globo é acusado de racismo e afastado da emissora; entenda

·2 min de leitura
Vinicius Coimbra foi afastado de suas funções na Globo após as denúncias (foto: Globo)
Vinicius Coimbra foi afastado de suas funções na Globo após as denúncias (foto: Globo)

Resumo da Notícia:

  • Vinicius Coimbra foi acusado de racismo durante as filmagens de "Nos tempos do Imperador"

  • Por conta da denúncia, Vinicius foi afastado da direção da próxima novela das seis

Nas últimas semanas uma parte obscura dos métodos de trabalho do diretor Vinicius Coimbra, da Globo, foi revelada pela imprensa. Ele teria sido alvo de denúncias de racismo por parte do elenco negro da novela “Nos Tempos do Imperador”, que estava no ar no canal.

Segundo informações publicadas pela colunista Carla Bittencourt, do ‘Notícias da TV’, parte do elenco que tinha a Pequena África como núcleo foi obrigada a gravar a trama durante o pico de covid-19 enquanto atores brancos haviam sido dispensados do trabalho por conta dos protocolos do canal.

As denúncias contra Vinicius começaram ainda durante as gravações da novela, quando ele começou a supostamente segregar o elenco. Atores brancos e negros tinham camarins separados e ele teria dito, em uma situação ele chegou a se referir aos atores como brancos e pretos.

Cinnara Leal, Dani Ornelas e Roberta Rodrigues são as atrizes que levaram suas queixas aos diretores Ricardo Waddington (diretor de Entretenimento) e José Luiz Villamarim (diretor de Dramaturgia), que haviam prometido um ações, mas não teriam sido respondidas. Foi então que elas buscaram o compliance do grupo. Fontes do Yahoo! confirmam o caso.

Mariana Ximenes, que tinha um personagem de destaque na novela, chegou a ligar para Waddington para relatar que o tratamento dado pela direção aos atores negros da trama estava em desacordo com as boas práticas do canal, mas também não teve sucesso.

Na denúncia feita pelo trio ao compliance, elas citam a ajuda de Leticia Sabatella e Gabriela Medevedovski, que viveram a imperatriz Thereza e a médica Pilar na história, como pessoas que as defenderam em algumas situações embaraçosas no set.

A novela de Alessandro Marson e Thereza Falcão também passou por uma revisão histórica nos textos após uma cena dar a entender que uma personagem branca estava sofrendo racismo de personagens negros da trama.

No dia 15 de fevereiro o diretor foi afastado de todas as suas funções nos Estúdios Globo, inclusive da direção da próxima novela das seis, “Mar do Sertão”, até o fim das investigações realizadas pelo compliance. Allan Fiterman, que dirigiu a atual novela das sete, “Quanto Mais Vida, Melhor!”, assumiu o trabalho.