7 dicas para conter a ansiedade em tempos de Coronavírus

Cuidar de si mesmo não significa só evitar a contaminação, mas dar atenção extra ao emocional (Foto: Getty Images)

Estamos passando por um momento de alerta global. Com a disseminação do Coronavírus - cujo nome oficial é CODIV-19 -, e o fluxo de notícias intenso, não é uma surpresa que as pessoas estejam ansiosas e, claro, sentindo medo do que vem por aí. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Porém, uma coisa é certa: são em momentos como esse que precisamos cuidar do nosso sistema imunológico, e isso também significa tratar do emocional. “A ansiedade excessiva, essa que extrapola o real, deve ser contida. Uma vez tomadas as medidas de segurança para não se contaminar e não propagar o vírus, é necessário que se busque viver a vida em sua normalidade possível", explica o psicólogo Ronaldo Coelho.

Se você sofre de ansiedade ou tem sido arrebatado por ela, pode colocar em prática as dicas a seguir: 

1. Diminua o consumo das redes sociais

É um fato que o fluxo de informações em redes como o Twitter e o Instagram é gigantesco. Então, para diminuir a sensação de sufocamento e sobrecarga, faça o exercício de diminuir o tempo de uso dessa redes sociais por enquanto. Cuidar de você significa cuidar do que você consome também, e o medo se dissemina mais rápido do que um vírus quando se fala em internet.  

Leia também

2. Busque fontes confiáveis

Diminuir o tempo nas redes não significa ficar alienado sobre o que está acontecendo. É importante ficar a par dos avanços, anúncios oficiais e precauções a serem tomadas nas próximas semanas. Por isso, lembre-se de buscar essas informações em fontes confiáveis - grandes jornais, portais de notícias e emissoras de TV e órgãos oficiais são sempre os lugares mais recomendados para isso. Evite se informar pelo seu feed no Twitter, no Facebook ou por grupos de WhatsApp, por exemplo, onde a divulgação de fake news é grande. 

“É o momento de se ouvir as autoridades no assunto e não pessoas que falam por achismos. É importante saber que talvez não seja possível ficar completamente imune ao vírus, mas que se todos seguirem as medidas protetivas, haverá tratamento adequado para todos que precisarem", continua o profissional.

3. Alimente-se bem

Pode parecer clichê, mas assim como em qualquer outro momento da vida, é muito importante comer bem. Quando existe um vírus rondando, a alimentação correta ajuda na manutenção da imunidade e deixa o seu corpo mais forte e preparado. Coma direito, evite pular refeições e aposte em alimentos nutritivos. 

4. Separe o que você pode controlar do que não pode

Um exercício simples durante momentos que afetam o mundo é buscar entender o seu papel diante dos cenários apresentados. Entenda o que você pode controlar e o que não pode. Nesse caso: a disseminação do vírus em diferentes países e as medidas governamentais a respeito são coisas que você não pode controlar. Mas o cuidado com você mesmo e com as pessoas próximas a você, sim. Portanto, foque a sua atenção no que está a seu alcance. 

5. Siga as precauções oficiais

Falando em fazer a sua parte, invista nas precauções recomendadas para evitar a disseminação: lave as mãos com frequência, tussa e espirre cobrindo a boca e o nariz, evite tocar o rosto quando estiver em ambientes coletivos (como o transporte público), mantenha os ambientes arejados (abra janelas algumas vezes por dia) e evite aglomerações muito grandes. 

6. Coloque as coisas em perspectiva

A situação referente ao Coronavírus é impressionante porque é um vírus novo que se espalha muito rapidamente e tem, sim, uma taxa de mortalidade a ser considerada. Porém, é importante colocar os números em perspectiva. Coronavírus é uma gripe forte e existem doenças com taxas mais altas - o Sars é uma delas. No Brasil, por exemplo, os casos de dengue e até os acidentes de carro matam mais do que o Coronavírus. A ideia não é trocar uma preocupação com outra, mas não se deixar levar por números que impressionam, mas que são pequenos quando se considera outras doenças e situações já conhecidas. 

7. Cuide-se, mas não se isole

Umas principais questões diante de uma situação como essa é que as pessoas tendem a se isolar e evitar completamente o convívio social e o contato com outras pessoas. A não ser que a quarentena seja uma orientação explícita dos órgãos públicos oficiais, evite o isolamento. A curto prazo, isso até pode ajudar, mas aumenta a sensação de medo, a ansiedade e a desconfiança entre as pessoas. Converse com seu amigos e familiares, tente manter a rotina o mais normal possível - lembre-se apenas de evitar lugares fechados com muitas pessoas.