Dia das Meninas: conheça garotas que estão fazendo a diferença no mundo

Marcela De Mingo
Climate change environmental teen activist Greta Thunberg speaks during a climate strike rally in Iowa City, Iowa, U.S. October 4, 2019. REUTERS/Daniel Acker
Greta Thunberg, a ativista em nome das mudanças climáticas que tem chamado a atenção do mundo todo (Foto: Reuters)

O mundo está mudando (ainda bem) e cada vez mais vemos mulheres tomando a frente de lutas importantes que estão transformando a maneira como nos relacionamos uns com os outros e com o mundo. Em um momento de rever padrões e comportamentos que são nocivos para a nossa sociedade como um todo, a questão da desigualdade de gênero e o papel das mulheres está sendo muito questionado. Por isso, a Organização das Nações Unidas definiu o dia 11 de outubro como o Dia Internacional da Menina. Em homenagem a data, selecionamos algumas garotas que merecem a sua atenção - até porque, elas já tem dado o que falar por si mesmas!

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

1.Greta Thunberg

Aos 16 anos, Greta Thunberg está dominando manchetes mundo afora com o seu discurso ambientalista. Ativista em nome das mudanças climáticas que já estamos vivendo, ela começou um movimento que se tornou global ao faltar na escola, em setembro de 2018, e sentar em frente ao Parlamento da Suécia, em Estocolmo, com um cartaz. Antes um movimento solitário, o protesto de Greta cresceu e alcançou mais de um milhão de crianças em 100 países diferentes.

Autista, a adolescente tem compartilhado as suas questões ao mesmo tempo que explica como elas são importantes na sua luta por um mundo mais sustentável e que reverta os efeitos já causados pela população mundial.

Leia também

2.Emma Gonzalez

Aos 18 anos, Emma Gonzalez se tornou um dos nomes mais fortes na luta contra a violência causada por armas de fogo nos Estados Unidos. Depois de um massacre que fez 17 vítimas na escola Marjory Stoneman Douglas, ela emergiu como uma das líderes do movimento estudantil, que pede o fim da liberação dessas armas e rígidas leis de controle na venda e porte.

O movimento que comanda já deu resultados, inclusive. O estado da Flórida, por exemplo, respondeu aos pedidos de Emma e outros estudantes e aumentou de 18 para 21 anos a idade mínima para compra de armas no Estado.

Emma Gonzalez, a student and shooting survivor from the Marjory Stoneman Douglas High School in Parkland, Florida, cries as she addresses the conclusion of the "March for Our Lives" event demanding gun control after recent school shootings at a rally in Washington, U.S., March 24, 2018. REUTERS/Aaron P. Bernstein
Emma Gonzalez (Foto: Reuters)

3. Malala Yousafzai

Nobel da Paz e uma das ativistas mais conhecidas da atualidade. Malala tem uma história e tanto. Hoje com 22 anos, a sua luta começou com 11, quando escreveu e publicou um diário que contava sobre a sua vida no Paquistão, sob o regime do Talibã. A importância de oferecer educação às meninas virou a sua principal bandeira e nem mesmo o tiro que levou na cabeça - uma represália pela sua posição política -, fez com que ela se calasse.

Ainda hoje, ela defende que toda garota merece acesso à educação básica, e dar voz àqueles que, por tanto tempo, foram calados à força.

Nobel Peace Prize laureate Malala Yousafzai poses for photographs during the Education and Development G7 Ministers Summit in Paris, France, July 5, 2019. Christophe Petit Tesson/Pool via REUTERS
Malala Yousafzai (Foto: Reuters)

4. Shamma bint Suhail Faris Mazrui

O que você diria de um político de 22 anos? É o caso de Shamma bint Suhail Faris Mazrui, que com essa idade foi escolhida como Ministra de Estado para Questões dos Jovens nos Emirados Árabes. Acredita-se que ela é a pessoa mais jovem no mundo inteiro a ter um cargo político desse naipe, e o seu papel é criar caminhos para aumentar o diálogo entre os jovens e o governo local.

UAE Minister of State for Youth Affairs Shamma al-Mazrui speaks during the "MiSK Global Forum" in the Saudi capital Riyadh on November 16, 2016. / AFP / FAYEZ NURELDINE        (Photo credit should read FAYEZ NURELDINE/AFP/Getty Images)
Shamma Al Mazrui (Foto: Getty Images)

5.Amika George

Criadora do movimento #FreePeriods, algo como “menstruação livre", em português, Amika George organizou um protesto em frente à residência oficial da primeira-ministra britânica, Theresa May, pedindo acesso grátis à produtos de higiene pessoal para mulheres. Na época o protesto uniu mais de 2 mil pessoas, e a pressão do público, sob a liderança da jovem, deu resultados. Este ano, o governo britânico anunciou que financiaria produtos de higiene para as principais escolas e universidades do Reino Unido.

Amika George, 18, the founder of campaign group Free Periods, speaqks during a Period poverty protest opposite Downing Street in Whitehall, led by Free Periods, a group which is asking for free sanitary products for all girls on free school meals. The protest features speeches from among others. (Photo by Victoria Jones/PA Images via Getty Images)
Amika George (Foto: Getty Images)