Di Cavalcanti, que teve obra vandalizada em Brasília, tem vários murais em SP; saiba onde

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Entre os vários danos deixados pelos manifestantes golpistas que invadiram, neste domingo (8), as edificações da Praça dos Três Poderes, um dos mais emblemáticos foi aquele causado à tela "Mulatas", pintada em 1962 por Di Cavalcanti. A obra foi furada pelos invasores,

Um dos maiores nomes do modernismo nas artes visuais, o pintor e muralista tem vários de seus afrescos espalhados em vias públicas da cidade e algumas de suas pinturas estão em acervos de museus paulistanos. Veja onde conhecer.

NOVOTEL SÃO PAULO JARAGUÁ

Na fachada do hotel, no centro da cidade, há um mural com mais de 60 mil pastilhas, realizado na década de 1950. As imagens homenageiam a imprensa. É porque aquele prédio sediou, por muitas décadas, a Redação do jornal O Estado de S. Paulo.

R. Martins Fontes, 71, Consolação, região central

TEATRO CULTURA ARTÍSTICA

Também na região central de São Paulo há esse centro cultural que traz um imenso afresco de Di Cavalcanti em sua fachada. É o maior painel do artista na cidade, com 48 metros de largura por oito metros de altura, feito com mosaico de vidro e inaugurado em 1950.

R. Nestor Pestana, 196 , Consolação, região central

EDIFÍCIO TRI NGULO

Embora não tão grande quanto os já citados, há outro mural de Di num prédio comercial, na região da Sé. Embora mal conservado, o mosaico fica logo no térreo do edifício e retrata figuras no mundo do trabalho, bem na linha daquilo a que São Paulo propunha ser na década de 1950, quando concluído.

R. José Bonifácio, 24, Sé, região central

EDIFÍCIO MONTREAL

Há três afrescos de Di Cavalcanti no hall de entrada desse prédio residencial, projetado por Oscar Niemeyer nos anos 1950 para servir como o primeiro edifício de quitinetes da capital paulista.

Av. Ipiranga, 1.284, República, região central

MASP

O museu da avenida Paulista informa que abriga em seu acervo oito pinturas de Di Cavalcanti. Uma das mais conhecidas delas é 'Cinco Moças de Guaratinguetá', pintada em 1930, um óleo sobre tela realizado ainda sob o furor do primeiro momento do modernismo brasileiro.

Av. Paulista, 1.578, Bela Vista, região central. Ter. a dom., das 10h às 20h. R$ 50 (às terças é grátis)