Dhu Moraes diz que sente sofrimento de seus ancestrais com escravidão em 'Novo Mundo'

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Dhu Moraes, 66, acha "extremamente oportuna" a atual reprise na Globo da novela "Novo Mundo", exibida originalmente em 2017. A intérprete da escrava Idalina acredita que a trama tem o poder de reavivar a memória dos brasileiros sobre a história da nação, "que sempre foi de muita luta diante tanta desigualdade e desonestidade, que permanecem até os dias de hoje".

"Tive muitas cenas difíceis, mas duas foram marcantes. Uma foi quando Idalina assisti seu filho ser açoitado", conta. "A outra foi quando a própria Idalina foi açoitada, o que me fez sentir o quanto os meus ancestrais sofreram com a crueldade da escravidão."

A atriz conta que várias cenas da novela exigiram bastante dela, e que anseia rever o momento em que Idalina calça sapatos pela primeira vez na trama, para ir ao teatro. "Neste momento Idalina realiza o seu sonho, conhece a sensação de liberdade, de ser livre e dona de sua vida e o segundo porque ela calça sapatos para ir ao teatro que é o meu berço de artista. O teatro foi onde comecei a minha carreira e me descobri como atriz , além de cantora", diz.

Ela também lembra com carinho da novela por ter reencontrado Isabelle Drummond e César Cardadeiro, com quem trabalhou por muito tempo em "Sítio do Pica Pau Amarelo" (Globo). Conta ainda que, pelas redes sociais, tem recebido feedbacks positivos dos espectadores.