Destaque da MITsp, espetáculo 'Sopro' é cancelada definitivamente

GUILHERME HENRIQUE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A peça "Sopro", uma das mais esperadas da Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, foi cancelada pelos organizadores do evento na tarde desta sexta-feira (13). O evento é mais um que não resistiu aos temores causados pelo coronavírus.

O espetáculo, de autoria do dramaturgo e cenógrafo português Tiago Rodrigues, tinha exibições programadas a partir desta sexta (13) e no fim de semana, no Teatro Sesi, localizado na avenida Paulista.

Desde a última quinta-feira (12), no entanto, os organizadores sabiam que o local não poderia receber o espetáculo, já que a Fiesp suspendeu todas as atividades culturais do Centro Cultural Fiesp. Apesar da busca, não foi possível encontrar um novo espaço para a exibição da peça.

"Fico arrasado, era uma das produções de destaque da edição. Não à toa gostaríamos de fechar o festival com ela. A ideia era terminar com o Tiago porque a peça coloca a questão da força da arte e do teatro como resistência. Tentamos tudo que foi possível, corremos atrás de outros teatros, mas não foi possível", explicou Antônio Araújo, diretor artístico da MITsp

Ele afirma que, por enquanto, a programação da mostra, que termina neste domingo (15), está mantida.

"Estamos atentos e esperando, caso ocorra, alguma determinação do governo de São Paulo ou da prefeitura. Nossos parceiros, como o Sesc e o Itaú Cultural, vão continuar abertos, então a ideia é seguir até o fim."

Criada especialmente para o Festival de Avignon, um dos mais renomados do mundo, em 2017, "Sopro" retrata a vida de Cristina Vidal, que há mais de quatro décadas trabalha como ponto, soprando nos ouvidos dos atores as falas que por vezes são esquecidas durante uma apresentação. Seria a primeira vez da peça no Brasil.

Com quase duas horas de duração e cinco atores no palco, além da própria Vidal, Tiago Rodrigues tece um fio poético ao misturar ficção e realidade em um texto povoado por clássicos da dramaturgia, como "O Avarento", de Molière, "Três Irmãs", de Anton Tchekhov, e "Antígona", de Sófocles.

Na última semana, em conversa com a Folha de S.Paulo, Cristina Vidal, que vem ao país pela terceira vez na carreira, alegou certo cansaço com a longa viagem, mas disse estar feliz por trazer o espetáculo ao país.

O cancelamento de "Sopro" significa mais baque em uma semana complicada para eventos culturais no Brasil e no mundo. Além desta peça, o Festival de Curitiba, que estava agendado para este mês, foi reprogramado para setembro. A SP-Arte, maior feira de arte do país adiou sua 16ª edição, marcada para 1º a 5 de abril.

Outros eventos, como a São Paulo Fashion Week e o Lollapalooza também foram afetados pelo Coronavírus