Como descansar a mente e o corpo em 2021

Marcela De Mingo
·6 minuto de leitura
Beautiful young Asian woman in sportswear drinking protein shake after exercise, relaxing at home.
Repensar rituais e buscar pontos de melhora é o que faz a diferença na hora de construir uma rotina com cuidados com o corpo e a mente (Foto: Getty Creative)

É oficial: 2020 finalmente acabou e estamos frente a frente com um novo ano. De fato, os desafios ainda são muitos (ao contrário do que muita gente pensa, a pandemia ainda não acabou), mas temos adiante novas oportunidades e uma chance de recomeçar.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Para isso, é importante considerar o papel de cuidar da mente e do corpo com um pouco mais de carinho neste novo ano, principalmente se considerarmos o impacto que a pandemia teve no físico e no emocional de muita gente. E se a ideia é buscar meios de se recuperar de um ano tão intenso, em que o cansaço coletivo ficou tão escancarado, o primeiro passo é se atentar ao que você pensa.

Leia também

"A ideia é tentar manter os pensamentos estáveis", explica a psicóloga Fabiane de Faria. "Passamos muitos meses tentando nos equilibrar e entender o que estava acontecendo, e acredito que sejam esses os motivos da exaustão mental. Hoje, por mais que ainda estejamos na pandemia, vivemos em um cenário um pouco mais conhecido. Por isso, é mais fácil fazer os nossos pensamentos se acalmarem. Não de asas à imaginação, tente viver o hoje."

A profissional explica que, aqui, as rotinas se mostram especialmente importantes, já que ajudam a manter uma estrutura cotidiana, o que diminui a ansiedade e ajuda com o exercício citado acima. É claro que ela, por si só, não resolve questões profundas de saúde mental, mas é um passo essencial para reestabelecer uma sensação de segurança e controle sobre aquilo que está ao alcance cada um - afinal, quem controla a sua rotina é você mesmo.

O ideal, claro, é evitar que o cansaço chegue aos níveis que vimos atingir no ano passado. Para isso, Fabiane recomenda um conjunto de fatores, que vão de um acompanhamento psicológico ou exercícios que ajudem a liberar o acumulo de pensamentos e preocupações (não à toa os diários voltaram a ser tão populares em 2020), como uma rotina de exercícios físicos. "O pensamento acelerado causa cansaço físico e mental, e vice-versa. Devemos procurar um caminho que nos desligue, uma atividade que ajude nossa mente a focar e esquecer do mundo", diz ela.

Aliás, vale o lembrete: se a rotina pode ajudar oferecendo estrutura e segurança para quem se sente instável tanto física quanto mentalmente, serve também para indicar quando o nível de cansaço está passando dos limites e, portanto, é preciso repensar os cuidados que você tem tomado consigo mesmo. “[O cansaço é excessivo] Quando está interferindo na rotina, tirando nossa capacidade de produzir ou até de agir racionalmente. Às vezes, não paramos de produzir, mas baixamos nosso potencial, e isso já é um alerta. O ideal é buscar ajuda externa, tanto para o corpo como para a mente, profissionais de saúde e atividades para relaxar. E não esperar chegar no fundo do poço para buscar ajuda", explica.

Cuidando do corpo e da mente na prática

Para Nicole Vendramini, co-fundadora da Holistix, a percepção do cansaço físico e mental acumulado pode ser vista nas atividades mais rotineiras - como não conseguir manter o foco depois de alguns poucos minutos em uma reunião. Rituais e atividades offline para não levar seu físico e a sua mente ao limite.

"Algo muito bom é fazer atividades que envolvem mais trabalho manual do que mental", diz, em entrevista ao Yahoo!. "Não necessariamente você vai parar e tricotar uma blusa, mas, por exemplo, arrumar o seu armário, coisas de colocar a vida em ordem, limpar bolsa e carteira, limpar a despensa, armário de cozinha… sempre fica alguma coisa que você não vai mais usar. Eu acredito muito que a clareza externa é a clareza interna. Você fazer isso para fora vai ajudar para dentro de você mesma também."

De acordo com ela, processos que tenham a ver com o próprio corpo, em que você pode observar suas mãos trabalhando, ou as pernas e pés, por exemplo, têm um efeito relaxante que ajudam a reposicionar o foco - pode ser algo tão simples quanto colocar maquiagem ou passar um creme hidratante. Aqui, a questão não tem a ver com a estética, mas com você se reconectar com os aspectos da percepção que ficam esquecidos ao longo do dia - é por isso que existem tantos exercícios relacionados à respiração, pois perceber a movimentação do corpo ao inspirar e expirar é extremamente relaxante e anti-ansiolítico. Nicole chama essas atividades de momentos de "perspectiva mental".

"Uma coisa que pode fazer bastante sentido nesse momento de quarentena é fazer happy hours com você mesma", diz ela. Como estamos mais em casa e, muito provavelmente as confraternizações de equipes vão se manter virtuais pelo presente momento, você pode transformar o que seria algo em grupo em um encontro com você mesma. Que seja cozinhar um jantar, lavar e estender as próprias roupas com cuidado ou tomar um banho antes de dormir com calma. "Qualquer coisa que tenha a ver com entrar nesse estado meditativo", continua Nicole.

Fora isso, vale considerar que o ano está apenas começando, mas se você busca ter um ano mais tranquilo, física e mentalmente, com hábitos mais saudáveis segundo o que você busca para o seu estilo de vida, então, é preciso, sim, planejar um pouco e, principalmente, olhar para trás para identificar furos.

"Cada pessoa vai ter que se autoavaliar e entender os seus próprios padrões. Tem gente que consegue ser muita prática, tem gente que não é assim. A primeira coisa é olhar para trás, não ignorar os seus próprios padrões. Você faz um monte de promessa e não cumpre nenhuma? Tem uma questão aí. É aquela frase do Einstein: você não vai ter resultados novos se fizer as mesmas coisas. O olhar para trás é muito importante", diz.

Para isso, você pode montar uma lista com o que funcionou e o que não funcionou no ano anterior - com certeza, algum novo hábito foi incorporado nesse meio tempo. Investigue o porquê disso ter funcionado e busque encontrar meios semelhantes de incorporar outros bons hábitos de cuidado consigo mesmo ao longo dos dias e semanas - esse será o seu combustível para continuar em frente.

"Falando de novos hábitos: não tem como a gente colocar um hábito novo na rotina sem se planejar e prever um pouco das coisas que podem acontecer", continua ela. Por exemplo, se você quer fazer exercícios físicos duas vezes na semana, precisa primeiro saber como você funciona e o que, até então, tem impedido que isso aconteça. Se é falta de tempo, uma possível solução é bloquear a sua agenda em dias e horários específicos pelos primeiros meses do ano, até que o hábito se estabeleça, para que ele se torne uma prioridade no seu dia. Pensar em possíveis imprevistos e como contorná-los também pode ajudar você a ter mais flexibilidade em relação ao seu planejamento, sem que você perca de vista as suas prioridades.

No mais, o principal é não transformar o cuidado com o corpo e a mente em uma obrigação a mais na agenda, mas buscar entender os benefícios que essas pequenas atitudes cotidianas trazem para você no curto prazo - e no longo! Se fazer uma esfoliação a seco, por exemplo, beneficia a sua circulação em uma visão macro, no micro colabora para você ter contato com o próprio corpo e ver as mãos em ação, automaticamente gerando uma mudança de foco e mais tranquilidade.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube