Desafio Sob Fogo ganha 4ª temporada com 'finais que parecem Copa do Mundo'

·3 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O reality mais afiado e letal da televisão ganha sua quarta temporada nesta quinta-feira (28), às 22h. O Desafio Sob Fogo Brasil e América Latina (History Channel) volta com a competição entre forjadores de armas e com os competidores estrangeiros na busca por encerrar a sequência de três vitórias de participantes brasileiros.

"Vamos ter muito drama e todos os tipos de emoções", garante Ricardo Vilar, juiz brasileiro da competição. Ao lado do forjador no júri, estão Mariano Gugliotta e Doug Marcaida, que estarão sob o comando e apresentação do ator colombiano Juan Pablo Llano. "Tivemos finais de competições que pareciam a final da Copa do Mundo", completa Vilar.

Nesta temporada, o elenco é composto por oito competidores. Três deles são brasileiros, sendo: Roger Glasser, 42, com 13 anos de experiência na forja; Júlio Lombardi 46, um gaúcho natural de Santa Catarina; e Silvana Mouzinho, 63, a segunda mulher a participar da competição, com 18 anos de forja.

Além dos representantes brasileiros, o elenco também conta com Sergio Baez, 34, representando o México; Pablo Guerrero Molina, 30, marcando a primeira participação do Chile; Julián Orrego, 38, da Colômbia; e o mais novo do grupo, Facundo Fadón, 20, que vem representando a Argentina. A competição dá o título de Melhor Forjador da América Latina e o prêmio de US$ 10 mil, cerca de R$ 55 mil.

Os jurados afirmaram que a quarta temporada foi especial e mais trabalhosa devido aos protocolos para com a Covid-19. "Demoramos seis meses de pré-produção, produção e pós-produção", ressalta Gugliotta. Para eles, isso só ajudou na emoção e tensão que os episódios passam para quem está do outro lado da telinha.

Ao todo, a competição passa por duas etapas, a primeira com seis episódios, em que os participantes se dividem em equipes de quatro forjadores para garantir a maior pontuação e se classificar para a final. Além disso, também há um episódio de repescagem, para decidir quem irá para o último confronto com o melhor colocado.

As provas trarão referências de cultura pop e do cinema, tendo que criar desde facões ao estilo da saga de filmes "Indiana Jones", até um sabre wakizashi. "Muitas coisas aconteceram nesta temporada que nunca tinham acontecido até então no Desafio sob Fogo", reforça Marcaida.

"Trabalhamos com altas temperaturas e com armas cortantes, a produção é impecável, não pode ter um erro", diz o apresentador, Juan Pablo Llano.

Para ele, além de ser inusitado e emocionante, o reality show também acaba sendo uma "aula de história". "A ideia do programa é trazer a história, e não ensinar a se fazer uma faca [em casa]", completa Vilar. Miguel Brailovsky vice-presidente sênior de Programação e Produção do canal History ainda assegurou que os fãs podem esperar novas temporadas.

Marcaida diz que a temporada é uma das mais emocionantes, sem querer dar muitos spoilers ele assegura "que tem muito drama, quase uma telenovela. É preciso assistir até o último minuto", pontua, "estamos criando memórias".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos