'Derrotamos o autoritarismo e o fascismo', diz Lula em discurso da vitória

Lula faz discurso da vitória - Rovena Rosa / Agência Brasil credit:Bang Showbiz
Lula faz discurso da vitória - Rovena Rosa / Agência Brasil credit:Bang Showbiz

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) celebrou a derrota do "autoritarismo e do fascismo" em seu primeiro discurso após o resultado das eleições presidenciais.

Em um pronunciamento na Avenida Paulista, em São Paulo, o petista não poupou críticas ao atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), e prometeu governar para os "215 milhões de brasileiros", e não apenas para seus eleitores.

"De todas as vitórias que eu tive, essa é a vitória mais consagradora, porque derrotamos o autoritarismo e o fascismo. A democracia está de volta ao Brasil. A liberdade está de volta ao Brasil. O povo vai poder sorrir outra vez. Meus amigos e minhas amigas. A partir de 1º de janeiro de 2023, vou governar para 215 milhões de brasileiros e brasileiras, e não apenas para aqueles que votaram em mim. Não existem dois Brasis, somos um único país, um único povo, uma grande nação", afirmou Lula.

Em seu pronunciamento, Lula disse ter enfrentado "a máquina do Estado brasileiro colocada a serviço do candidato da situação" no pleito do domingo (30).

"Tentaram me enterrar vivo e estou aqui para governar esse país", pontuou.

Lula reiterou que a prioridade do seu governo é o combate à fome.

"Nosso compromisso mais urgente é acabar outra vez com a fome. Não podemos aceitar como normal que milhões de homens, mulheres e crianças neste país não tenham o que comer, ou que consumam menos calorias e proteínas do que o necessário. Se somos o terceiro maior produtor mundial de alimentos e o primeiro de proteína animal, se temos tecnologia e uma imensidão de terras agricultáveis, se somos capazes de exportar para o mundo inteiro, temos o dever de garantir que todo brasileiro possa tomar café da manhã, almoçar e jantar todos os dias", afirmou, visivelmente emocionado.