Deputado questiona ao GSI presença de Eduardo Bolsonaro armado no gabinete presidencial

FÁBIO ZANINI
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) decidiu enviar requerimento ao ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, questionando a presença do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) armado no gabinete presidencial. O pedido de informações é motivado por uma foto publicada nas redes sociais mostrando o presidente Jair Bolsonaro em seu gabinete, com seus quatro filhos homens. Eduardo, que é servidor da Polícia Federal e tem porte de arma, aparece com um revólver na cintura. “Amanhã um parlamentar que tenha divergência com o presidente vai entrar armado e pode matá-lo. Essa situação criou um precedente gravíssimo. É uma falha de segurança”, diz Teixeira. No requerimento, Teixeira pergunta se quaisquer autoridades públicas, do Executivo, Judiciário e Legislativo, podem portar e ostentar arma de fogo nas dependências do Palácio e do gabinete presidencial. Ele também quer saber se a segurança presidencial permitiu que o deputado entrasse armado no gabinete do pai. Recentemente, houve situações polêmicas envolvendo pessoas armadas em prédios públicos. Em 2019, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot disse que dois anos antes entrou com um revólver no prédio do Supremo Tribunal Federal com o objetivo de matar o ministro Gilmar Mendes, mas acabou desistindo. Em outra situação, o deputado federal Delegado Waldir (PSL-GO) participou com uma arma no coldre de uma sessão da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. A sessão teve confusão e acabou sendo interrompida.