Denilson jogou 220 minutos no Cruzeiro e câmbio aumentou a dívida em R$ 2,3 milhões

Denilson jogou apenas cinco jogos pelo Cruzeiro, com um total de 220 minutos dentro de campo (Divulgação Cruzeiro)

Uma bomba explodiu no colo dos dirigentes do Cruzeiro na noite dessa terça-feira (19). A Fifa comunicou à CBF que o clube mineiro terá de começar a Série B do Campeonato Brasileiro com seis pontos negativos por não cumprir o prazo determinado pela entidade para realizar o pagamento de uma dívida com o Al Wahda, dos Emirados Árabes. A informação divulgada pela Rádio Itatiaia rapidamente ganhou manchetes nos principais portais do país e rendeu até uma nota da Raposa sobre o assunto.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

O Cruzeiro informou que ainda não foi notificado sobre a punição e garantiu que segue trabalhando para evitar qualquer tipo de pena. De acordo com Sandro Gonzalez, CEO do Conselho Gestor, o clube negocia diretamente com os árabes para conseguir um prazo maior para quitar a dívida.

Leia também:

“Estamos negociando com o Al-Whada e vamos seguir até o último minuto, aguardando um desfecho positivo, para que o Cruzeiro não seja penalizado com a perda de pontos. Estamos vivendo um momento de exceção, em que o mundo está sofrendo com as consequências desta crise com o coronavírus. Todos sabem da falta de recursos do Cruzeiro e o clube teve suas receitas ainda mais comprometidas pela situação de pandemia”, argumentou.

A notícia sacudiu as redes sociais. A revolta cada vez maior do cruzeirense, que acompanha o desmonte de um dos maiores clubes do país, e a gozação de torcedores rivais, desde os atleticanos aos torcedores de outras equipes da Série B do Brasileirão. Entre os xingamentos e lamentações dos celestes pelas administrações ruins que arrebentaram com as finanças do Cruzeiro, uma indagação: afinal de contas, quem é Denílson?

Uma pergunta pertinente, pois se trata de um jogador que atuou em somente cinco partidas, sendo que em três delas ele começou no banco de reservas. No total, o volante que vestia a camisa 88 ficou apenas 220 minutos dentro de campo. O recorde foi no triunfo sobre o Vitória, por 1 a 0, no Barradão, pela 32ª rodada da Série A, em 23 de outubro de 2016. Denilson ficou 97 minutos em campo, com os acréscimos das duas etapas.

Revelado pelo São Paulo e com uma longa passagem pelo Arsenal, Denilson chegou à Toca da Raposa em julho de 2016, emprestado até dezembro e com os direitos fixados. Como não convenceu e pouco ajudou dentro de campo, o volante nem sequer cumpriu os meses de contrato que tinha com a Raposa. No fim de novembro daquele ano o Cruzeiro liberou o jogador e informou que não exerceria a opção de compra.

Pelo empréstimo que durou somente quatro meses o clube mineiro teria de pagar uma quantia, que não foi revelada à época. O valor cobrado pelo Al-Whada é de 850 mil euros. Considerando que esse era o valor já em 2016, sem juros e multas pelo atraso no pagamento, a desvalorização do Real fez com que a dívida celeste ficasse R$ 2,3 milhões mais cara.

Em 19 de julho de 2016, quando Denilson chegou ao Cruzeiro, um Euro custava R$ 3,61 e tornava o custo do empréstimo pouco superior a R$ 3 milhões. Quase quatro anos depois e com a moeda brasileira em baixa, com cada Euro custando algo em torno de R$ 6,28 a dívida saltou para R$ 5,3 milhões.

Veja mais sobre futebol mineiro no Blog de Victor Martins

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.