Dengue: entenda a doença, os sintomas e aprenda evitá-la

Nas temporadas de calor e chuva, o risco de dengue é maior (Getty Images)

O Brasil enfrenta há mais de três décadas epidemias anuais de dengue, segundo a Fiocruz/Instituto Oswaldo Cruz. Mesmo com constantes campanhas sobre o tema, todos os anos milhares de pessoas se contagiam com a doença.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Só no último ano, 650 pessoas morreram entre 30 de dezembro de 2018 e 24 de agosto de 2019 de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Agora, com o início das temporadas de calor e chuva, devemos ter um cuidado redobrado com a doença. Mas o que é a dengue? Quais seus sintomas ? Como evitar o contágio?

Leia também

O que é a dengue?

Trata-se de uma doença infecciosa causada por um vírus transmitido pela fêmea do mosquito Aedes aegypti. O vírus pertence ao grupo dos arbovírus, que são passados por picadas de insetos, principalmente mosquitos.

Existem quatro tipos de vírus da dengue (sorotipos 1, 2,3 e 4) – portanto, é possível ser infectado até quatro vezes. O mosquito Aedes aegypti precisa de água parada para se proliferar, sendo que o período do ano com maior transmissão são os meses mais chuvosos e quentes de cada região. Por isso é importante evitar água parada, porque os ovos do mosquito podem sobreviver por um ano até encontrar as melhores condições para se desenvolver.

Quais os sintomas da dengue?

  • Febre alta, maior que 38.5ºC

  • Dores musculares intensas

  • Dor ao mexer os olhos

  • Mal estar

  • Falta de apetite

  • Dor de cabeça

  • Manchas vermelhas no corpo

A infecção pode ser de três formas: assintomática, leve ou grave. Normalmente, o primeiro sintoma é a febre alta de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo, além de fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Perda de peso, náuseas e vômitos também são comuns. Quando a pessoa só apresenta febre, pode ser difícil identificar que é dengue. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar o mais rápido possível um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados.

A dengue leve pode ter cura espontânea em 10 dias. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa, vômitos persistentes, sangramento de mucosas, alterações neurológicas, sintomas cardiorrespiratórios e insuficiência hepática. Uma perigosa complicação é o choque hemorrágico, que pode provocar perdas de um litro de sangue. Dessa maneira, o coração perde a capacidade de bombear o sangue necessário para todo o corpo, podendo levar à morte.

Evite água parada (Getty Images)

Qual o tratamento?

Não existe tratamento específico para a dengue. Mas casos suspeite da doença, é importante ir ao hospital para ter um diagnóstico correto. Entre as formas de cuidados mais comuns, estão:

  • fazer repouso;

  • ingerir bastante líquido (água);

  • a hidratação por via oral ou por via intravenosa (soro, por exemplo);

  • utilizar medicamentos somente em caso de recomendação médica. Analgésicos leves geralmente são prescritos para baixar febre e aliviar alguns sintomas.

Existe uma vacina para dengue que só deve ser aplicada em pessoas que já receberam o diagnóstico da doença anteriormente. Pessoas que não contraíram a doença e receberem a vacina podem ter um risco maior de contrair casos mais graves de dengue após a imunização.

Como evitar a dengue?

O essencial é evitar a proliferação do mosquito, eliminando criadouros e tentar prevenir as picadas dos mosquitos já existentes:

  • Elimine os criadouros do mosquito. Não deixe a água parada em nenhuma superfície: garrafas PET e de vidro, lajes, calhas, caixas d’água, ralos, vasos sanitários (deixe as tampas abaixadas), baldes, vasos de plantas e mantenha as piscinas limpas;

  • Evite áreas que estejam tendo epidemia;

  • Uso de telas de proteção em janelas e portas para afastar o mosquito de ambientes interno;

  • Use o repelente adequado

  • ​Use roupas que protegem braços e pernas em áreas com o mosquito