'Democracia em vertigem' é indicado ao Oscar de melhor documentário

O Oscar será entregue em Hollywood no dia 9 de fevereiro

"Democracia em Vertigem", da brasileira Petra Costa, foi indicada nesta segunda-feira ao Oscar de melhor documentário.

A obra, uma crônica da história política recente do Brasil, foi indicada junto a "American Factory", "The Cave", "For Sama" e "Honeyland".

O documentário de duas horas, produzido pela Netflix, é uma visão em primeira pessoa da ascensão da esquerda no Brasil, da chegada do metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva ao poder e da cadeia de eventos que mais tarde impactaram o cotidiano do país: o julgamento político da sucessora de Lula, Dilma Rousseff, a prisão do próprio ex-presidente e a irrupção do atual presidente, Jair Bolsonaro.

O filme para na Operação Lava Jato, que revelou o megaescândalo de corrupção empresarial e política brasileira e desencadeou vários desses eventos.

Costa, atriz e diretora de 36 anos, já tem uma longa carreira como documentarista.

Seu trabalho de estreia, "Olhos de ressaca" (2009), foi exibido no Moma em Nova York e ganhou, entre outros, o prêmio de melhor curta-metragem no Festival Internacional de Documentários de Londres.

Foi seguido por "Elena" (2012) e "Olmo e a gaivota" (2015), ambos também premiados.

Ainda entre os brasileiros presentes nas indicações ao Oscar 2020, está Fernando Meirelles com "Dois Papas", produção também da Netflix indicado para melhor ator (Jonathan Pryce), melhor ator coadjuvante (Anthony Hoptkins) e melhor roteiro adaptado.