Demi Lovato tenta contato com extraterrestres após suposta abdução

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 22.04.2014 - Show da cantora Demi Lovato no Citibank Hall, em São Paulo. (Foto: Avener Prado/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 22.04.2014 - Show da cantora Demi Lovato no Citibank Hall, em São Paulo. (Foto: Avener Prado/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Demi Lovato, 30, e Matthew Scott Montgomery, 33, são melhores amigos há cerca de 11 anos, desde que ele gravou uma participação em "Sunny entre Estrelas", do Disney Channel, e os dois se deram bem de cara. O máximo que eles passam sem se falar é 3 ou 4 dias, mas —em geral— passam o dia mandando memes e tiktoks um para o outro.

Por isso, ele foi uma das primeiras pessoas a saber quando ela afirmou ter sido abduzida por extraterrestres, durante uma viagem ao Parque Nacional de Joshua Tree, na Califórnia, em 2020. "Quando ela voltou, fui na casa dela, e ela me contou a história e até desenhou algumas das coisas que haviam acontecido", contou ele à Folha de S.Paulo. "Eu fiquei um pouco incrédulo, mas ela estava muito animada."

Tão animada que o convidou para que os dois investigassem juntos o assunto. O resultado acabou virando uma série documental, chamada "Unidentified with Demi Lovato", que estreia no Brasil na quinta-feira (1º) no canal pago E! Entertainment.

Montgomery conta que a amiga estava muito feliz com o que tinha vivido. "Não tinha sido uma experiência assustadora, como você vê em filmes ou como quando você escuta alguém falando de forma amedrontadora", lembra. "Acreditando ou não na história, minha amiga estava contente, então eu também fiquei."

Ele revela que, mesmo antes dessa experiência, a vida fora da Terra já era algo que despertava a curiosidade de Demi. "Ela sempre se interessou por saber o que havia lá fora, no espaço, e falávamos sobre isso de vez em quanto", afirma.

O ator conta que tem uma função bem definida na série, que conta também com a participação de Dallas Lovato, irmã da cantora. "O legal de eu estar no programa é que sou a voz cética do público, porque realmente não sei quanto das pessoas que vão assistir acreditam em alienígenas e abduções", avalia. "Eu certamente não seria uma dessas pessoas."

Apesar de se dizer cético, ele diz que já viu coisas que não sabe explicar. "Depois de gravar a série, eu definitivamente posso dizer que já vi um objeto voador não identificado, foi muito empolgante e eu não podia acreditar que estava acontecendo", relata. "Eu tive que ver a gravação várias vezes para ter certeza de que tinha acontecido mesmo e que as câmeras tinham captado."

Porém, o que ele não esperava é que além de alienígenas, eles fossem se deparar com outros seres sobrenaturais. "Tivemos uma experiência paranormal", afirma, surpreso. "Eu estava esperando ver OVNIs e coisas do tipo, mas acabamos interagindo com fantasmas ao mesmo tempo. Era um tipo de fantasma alienígena."

O ator diz que muitas das pessoas com quem conversaram sobre o assunto temem falar sobre o tema por serem julgados. "Uma das pessoas com quem falamos perdeu a carreira e os relacionamentos por contar o que havia ocorrido com ele, muitas pessoas não estão prontas para esse topo de conversa", avalia. "No geral, as pessoas não acreditam ou fazem graça simplesmente porque é algo que elas não entendem."

Com apenas 4 episódios, a série documental não tem planos de gravar novos episódios. Porém, os dois amigos não descartam voltarem a explorar esse universo no futuro. "Ainda temos muitos lugares para visitar e experiências para viver", diz ele. "A Demi está muito ocupada, em turnê, e com um álbum novo. Quando ela achar tempo, eu estou dentro. Sinto que estamos apenas começando."

Mas será que ele gostaria de encontrar um extraterrestre, para poder depois contar a experiência numa possível segunda temporada? "Se eu tivesse essa oportunidade, eu passaria para a Demi, porque é o sonho dela ter mais comunicação com o que há lá fora", responde. "Ou eu iria com ela ou nem iria, porque é algo com o qual ela se sente conectada, e eu me sinto conectado a ela, então não consigo me imaginar indo sozinho, eu teria que levá-la comigo!"