Demi Lovato revela que primeiro contato com drogas foi aos 12 anos

Demi Lovato em participação
Demi Lovato em participação "The Tonight Show" apresentado por Jimmy Fallon em agosto de 2022. (Foto: Todd Owyoung/NBC via Getty Images)

A cantora Demi Lovato revelou que teve seu primeiro contato com drogas quando tinha 12 anos, logo após sofrer um acidente de carro. A artista explica que foi receitada com opioides e ingeriu comprimidos além do prescrito pelos médicos.

“Comecei a experimentar pela primeira vez quando eu tinha 12 ou 13 anos”, disse ela em entrevista ao podcast “Call Her Daddy”. “Eu sofri um acidente de carro e eles me receitaram opioides". O medicamento possui efeitos analgésicos e sedativos potentes.

"Minha mãe não achava que teria que trancar os opioides de sua filha de 13 anos, mas eu já estava bebendo naquele momento. Eu tinha sofrido bullying e estava procurando uma fuga", contou Demi à apresentadora Alexandra Cooper.

Aos 30 anos e sóbria, a cantora explica que a mãe escondeu as pílulas quando descobriu quantas ela já havia ingerido. Assim, ela passou a pegar as cervejas do padrasto. "Roubei as cervejas do meu padrasto que estavam na geladeira, levei para o meu quarto e bebi umas quatro só para ver como era se sentir bêbada", detalhou.

“Aos 17 anos, foi a primeira vez que experimentei cocaína e, tipo, amei demais e então meio que sangrei e fui para o tratamento logo depois que completei 18 anos”, relembrou a cantora, que recentemente lançou o disco "Holy Fvck". Demi passou três meses na reabilitação em 2010 e deu início a sua jornada na sobriedade.

Ela teve algumas recaídas após deixar a clínica, ficou mais de seis anos sóbria até que sofreu uma overdose quase fatal em julho de 2018. "Teve uma vez que eu disse que estava vomitando sangue, que eu precisava ir para o tratamento e precisava de ajuda, isso foi em 2017, e essa pessoa olhou para mim e disse: 'Você não está doente o suficiente''', relatou. "Acho que esse foi o jeito dele dizer que eu não poderia voltar para o tratamento porque isso poderia pegar mal para ele".

"Então eu não fui. Eu não voltei ao tratamento e menos de um ano depois, eu acabei tendo a overdose. Eu me sentia presa, eu sentia que não podia sair daquela situação e o meu jeito de explodir tudo seria tendo uma recaída em drogas e álcool, porque eles sempre diziam que se eu usasse, eles iriam me deixar", completou Lovato.