Defesa de Harvey Weintein contrata especialista em falhas de memórias

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A defesa do ex-produtor de cinema Harvey Weinstein chamou uma psicóloga especialista em falhas de memória para depor, nesta sexta-feira (7), em Nova York.

Ele é acusado de ter estuprado uma mulher não identificada em 2013 e de ter feito sexo oral em outra, assistente de produção, contra a vontade dela, em 2006. 

Elizabeth Loftus, que é professora da Universidade da Califórnia em Irvine, já trabalhou em nome de clientes famosos, incluindo o serial killer Ted Bundy.

Em seu depoimento no caso de Weinstein, ela explicou que a precisão da memória diminui ao longo dos anos e usou como exemplo testemunhas que são pressionadas a dar mais detalhes sobre um fato que eles viveram.

"É possível mencionar algo que somente é uma hipótese e depois ter a impressão de que é uma lembrança", disse Loftus.  "[Memórias falsas] podem ser sentidas com uma quantidade enorme de detalhes e emoções, mesmo não sendo verdadeiras." 

Desde o início do julgamento, em janeiro deste ano, os jurados ouviram seis mulheres contarem como o acusado os agrediu sexualmente --a maioria das outras alegações feitas contra ele já prescreveram, não se enquadram na jurisdição de Nova York ou envolvem comportamento abusivo, mas não criminal.  Weinstein nega todas as acusações.