Dedé Santana relembra beijão em Xuxa e diz que ela achou 'chocho'

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL 01.02.2020  - Retrato de Dedé Santana, no Teatro Sesi na FIESP. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL 01.02.2020 - Retrato de Dedé Santana, no Teatro Sesi na FIESP. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O humorista Dedé Santana, 85, revela que Xuxa Meneghel, 58, de quem até hoje é muito amigo, não gostou de seu beijo durante as gravações do filme "O Mágico de Oróz" (1984).

Em entrevista a Sérgio Mallandro, 65, no podcast Papagaio Falante, o eterno Trapalhão relembrou o dia em que teve de se superar para impressionar a Rainha dos Baixinhos.

"Você [Mallandro] foi príncipe da Xuxa, mas quem beijou fui eu. No filme eu fazia o noivo dela e no final tinha o beijo na boca. Eu estava sem jeito porque ela era muito minha amiga. Quando chegou o dia da cena, o diretor pediu para que eu falasse com ela", começou.

Envergonhado, Dedé conta que naquele momento disse para Xuxa que não era galã e que não sabia dar beijo técnico. "Ela virou para mim e disse assim: 'Lasca!'", lembrou ele.

Porém, o resultado não saiu como ambos esperavam. "Na hora de gravar, dei aquele beijão nela e perguntei como tinha sido. Ela respondeu que tinha achado chocho", disse Santana.

Sérgio Mallandro também rememorou uma cena em que precisava demonstrar carinho e afeto por Xuxa. Porém, no caso dele, a demonstração foi tão grande que a diretora Tizuka Yamasaki teve de mandar cortar a cena.

"A Tizuka falou para eu beijar com amor, com muita paixão. Então eu meti a língua. Tomei esporro, mas depois deu certo", contou ele.

Recentemente, Mallandro relembrou outra situação que passou com a apresentadora Xuxa Meneghel na época em que ela namorava o piloto de fórmula 1, Ayrton Senna (1960-1994).

Ele comentou que interrompeu os dois durante uma relação sexual e gritou o bordão "Acelera, Ayrton", que foi marca registrada do comentarista Galvão Bueno, 70, ao narrar os movimentos do piloto nas corridas e competições.

"Como ela vai ficar chateada de eu contar uma coisa que realmente aconteceu e que presenciei? A Xuxa é minha irmã", disse o artista em entrevista à coluna da jornalista Fábia Oliveira, do jornal O Dia.

"Eu estava na casa dela, no quarto ao lado onde ela estava com Ayrton Senna e eu comecei a gritar: 'acelera, Ayrton!'. Ela foi na porta e brigou comigo dizendo que eu estava atrapalhando o sexo dos dois", completou o humorista.

Ele ainda afirmou que a cumplicidade que tinha com a Rainha dos Baixinhos na época dura até os dias de hoje. Mallandro relembrou que costumava dormir na casa da cantora quando dava carona para ela na volta do trabalho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos