Deborah Secco foi subestimada para "Bruna Surfistinha": "Diretor não me queria"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Deborah Secco em
Deborah Secco em "Bruna Surfistinha". Foto: Divulgação/Imagem Filmes

Resumo da notícia:

  • Deborah Secco relembra detalhes da produção de "Bruna Surfistinha"

  • Em entrevista ao "Poccast", a atriz confessou que precisou convencer o diretor para o papel ser seu

  • Ela recebeu o cineasta em sua casa e começou a se transformar na protagonista na frente dele

Mais de uma década após "Bruna Surfistinha", Deborah Secco ainda lembra de detalhes da produção do filme que marcou sua carreira. Em entrevista ao podcast "Poccast", de Lucas Guedez e Rafa Uccman, a atriz confessou que não foi aprovada pelo diretor de primeira e precisou convencê-lo que era a escolha certa para o longa.

"Na verdade, esse filme foi um filme que ficou muitos anos testando atrizes para o personagem. Um belo dia eu conheci o produtor do filme, que me fez o convite, mas falou: 'O diretor não quer que seja você'. O diretor achava que ia ser um personagem muito midiático, para uma atriz também midiática", contou ela.

No entanto, Deborah foi persistente e disse que ficou ainda mais motivada a correr atrás do trabalho quando soube da reprovação do cineasta. "Quando falam que eu não posso fazer uma coisa, eu vou querer fazer. Eu nem queria fazer tanto o filme, mas quando ele falou que o diretor não me queria, agora virou uma questão de honra", afirmou.

"Marquei uma reunião com ele [diretor] na minha casa, e eu o recebi com a camisola que eu começo o filme. Recebi de Raquel e fui me transformando na Bruna durante o jantar e terminei o jantar com um collant do aniversário da Bruna, de paetê (...) Então eu fui me transformando na frente dele e, quando terminei, ele falou: 'Ok, é você'", relatou..

Em outro momento da conversa, Secco chegou a ficar constrangida ao ser questionada sobre ter ficado com homens comprometidos. "Não era uma coisa que eu curtia, eu sempre sofri. Porque sempre soube que não era prazeroso. Hoje, eu jamais sairia com qualquer pessoa comprometida. Entendi a importância da gente olhar para outra mulher", explicou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos