Debate TV Cultura: Covas nega segundo pico de contágios de coronavírus em São Paulo

Anita Efraim
·3 minuto de leitura
Bruno Covas aparece em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto (Foto: Reprodução/ TV Cultura)
Bruno Covas aparece em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto (Foto: Reprodução/ TV Cultura)

Acontece nesta quinta-feira (12) o segundo debate entre as maiores redes de televisão aberta com candidatos à Prefeitura de São Paulo. Por conta do coronavírus, as Eleições 2020 tem uma série de novas regras nesse tipo de programa, tradicional na política brasileira.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), negou que São Paulo viva um segundo pico de contágios do novo coronavírus. Ele foi questionado por Arthur do Val (Patriota) se voltaria a fechar o comércio com o aumento do número de casos de Covid-19.

“Deputado, você deve saber que a cidade de São Paulo tem índices cada vez melhores no que diz respeito a pandemia por ações realizadas pela prefeitura em parceria com o governo de São Paulo. Não há nada que aponte para um segundo pico, essa é mais uma fake news às vésperas da eleição”, afirmou.

Insatisfeito com a resposta, Do Val discordou de Covas. “Não sei em que mundo você vive. Nós fomos a cidade que mais teve mortes por coronavírus e, além disso, tivemos uma crise econômica sem precedentes.” Anteriormente, o candidato do Patriota afirmou que filho de comerciantes, classe que sofreu com o fechamento dos estabelecimentos da cidade.

O isolamento social é uma das recomendações da Organização Mundial da Saúde para evitar a proliferação rápida do vírus. Na Europa, os países onde a pandemia chegou antes já vivem a segunda onda da Covid-19. A capital não teve nenhum tipo de lockdown.

Profissionais de saúde da capital reclamam da falta de transparência, o que dificulta a previsão de um possível salto nos casos de internação pela doença. A infectologista Juliana Salles, dirigente do Simesp (Sindicato dos Médicos de São Paulo) alegou que houve aumento no atendimento de pacientes com sintomas da Covid-19 foi sentido no Hospital das Clínicas, Hospital Emílio Ribas e em hospitais mais periféricos, como o Hospital Municipal Dr. Arthur Ribeiro de Saboya, na Zona Sul da cidade e o Hospital Municipal Dr. Alexandre Zaio.

Corrida pela Prefeitura de São Paulo teve poucos debates

Acostumado a debates que antecedem as votações na televisão, o público que vai às urnas no domingo (15) para eleger prefeito e vereadores em São Paulo assiste nesta quinta apenas o segundo debate com transmissão televisiva nas maiores redes da cidade.

Globo, SBT, RedeTV e Record TV anunciaram ao longo da campanha, que começou oficialmente em 15 de setembro com a confirmação das candidaturas, que não iriam realizar o debate pelo alto número de candidatos e a pandemia do coronavírus.

Leia também

A Band, por sua vez, fez debate ainda no começo do outubro, quando as campanhas engatavam. Por conta disso, o tom foi muito mais de apresentação ao público do que o embate de propostas em si. O cenário mudou de figura nesta última semana, com debates transmitidos online realizados por Estadão/Faap e Folha de S.Paulo/UOL.

No primeiro, realizado por Estadão e Faap, faculdade da capital paulista, Celso Russomanno (Republicanos), em franca queda nas pesquisas, foi alvo principal de seus adversários — com destaque para Márcio França (PSB) e Guilherme Boulos (PSOL). Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição, esteve em tranquilidade maior no debate que levou ainda Arthur Do Val (Patriota) e Jilmar Tatto (PT).

Já no debate promovido por Folha e o portal UOL estiveram presentes apenas os quatro mais bem colocados na última pesquisa Datafolha divulgada. A pesquisa em si foi tema de bastante polêmica após sofrer censura da campanha de Russomanno. Durante o debate, o candidato do Republicanos rompeu com as regras, acessou seu celular e divulgou uma notícia falsa sobre Boulos.

Para esta noite, além dos seis primeiros colocados na pesquisa e já citados, estarão presente Marina Helou (Rede), Joice Hasselmann (PSL), Orlando Silva (PC do B) e Andrea Matarazzo (PSD).

O debate está sendo transmitido pelas contas oficiais no Facebook, Twitter, Dailymotion e YouTube da emissora, e também pela Rádio Cultura FM 103,3.