David Brazil sobre gagueira: “É péssimo quando tentam completar a frase”

Lucas Pasin
·2 minuto de leitura
David Brazil
David Brazil

Você sabia que hoje, 22 de outubro, é o Dia Internacional da Gagueira? A data, estabelecida em 1998, visa conscientizar quem pouco sabe sobre a disfemia, conhecida popularmente como gagueira ou gaguez. A disfunção atinge cerca de 5% da população mundial, segundo dados da Universidade São Paulo (USP).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

Para falar do assunto, ninguém melhor do que David Brazil, que popularizou o tema para todos que se encantam pelo mundo dos famosos. Em conversa exclusiva com o Yahoo ele fala que muitos acreditam que ele usa a gagueira como ‘marketing’ para a fama e conta como transformou o preconceito em ‘deboche’.

Leia também

“Não me incomoda em nada ser gago. É claro que já sofri bullying, mas sempre busco transformar o limão em uma limonada. Deus me fez um ser muito leve e divertido. Faço do bullying um deboche e deixo a pessoa sem graça (risos)”, conta David, que faz questão sempre de ser divertido em tudo.

O radialista e promotor de eventos revela que ser referência como ‘gago’ faz com que ele possa ajudar outras pessoas: “Muitos me mandam mensagem ou quando me encontram na rua falam que graças a mim se soltaram. Eram tímidos e hoje aceitam de boa. As pessoas têm que se preparar e saber que sempre alguém vai rir. Eu mesmo, quando encontro outro gaguinho, morro de rir. Peço desculpas e rimos juntos. Acho que este é o melhor remédio”.

David diz que percebeu que era gago quando pequeno, ainda na escola: “Tinha um amiguinho que também era gago, aí lascou tudo. Minha mãe era evangélica e às vezes, para me assustar, ela dizia que eu tinha dois gansos nas minhas costas pelo fato de não querer ir para igreja. Era assim que ela justifica a gagueira. Depois disso tentei tratamento por muitos anos. Achei uma chatice. Os fonoaudiólogos que me desculpem, mas sou impaciente e o tratamento era muito caro. Desisti. Resolvi levar de boa para a vida. A gagueira até melhorou depois que eu aceitei.”

Marketing?

Segundo David, há quem diga que sua gagueira é uma estratégia para ganhar mídia: “Muita gente tem certeza que é marketing. Mas só nós gagos sabemos. Às vezes falamos maravilhosamente bem, outras horas o bicho pega, principalmente quando ficamos nervosos”.

O que não falar para uma pessoa com gagueira?

Para os ‘desavisados’, David faz apenas um pedido: “Conscientizem-se. Uma coisa péssima é completar as frases. Na maioria das vezes as pessoas erram. Outra coisa horrível quando tentam nos apressar, aí é que a gente trava mesmo. Dá até vontade de chorar.”

De acordo com as orientações de saúde, quem identificar a gagueira por um período superior há oito semanas, pode procurar um fonoaudiólogo especializado na área. O tratamento pode acabar ou diminuir os sintomas.