Daniel Alves comandou o SP sobre um Palmeiras desorganizado

Alexandre Praetzel
·1 minuto de leitura
Daniel Alves foi o melhor jogador do Choque-Rei.  Foto: Marcello Zambrana/AGIF
Daniel Alves foi o melhor jogador do Choque-Rei. Foto: Marcello Zambrana/AGIF

O São Paulo fez 1 a 0 no Palmeiras e conseguiu a segunda vitória consecutiva sobre o rival, no Allianz Parque. A atuação tricolor foi superior, com Crespo escalando força máxima contra uma formação inédita palmeirense. Ainda assim, isso não pode servir de desculpa porque o Palmeiras tinha seis jogadores que alternam entre titulares e reservas. 

O SP teve mais posse de bola, impediu ataques do Verdão e atacou com mais perigo, mesmo que não tenha exigido muitas defesas de Vinicius Silvestre. 

Daniel Alves, como lateral-direito e solto em campo, foi o protagonista do clássico, defendendo e armando jogadas. Deu um cruzamento maravilhoso na cabeça de Luciano e foi o ladrão de bola no erro de Scarpa, dando o passe para Pablo fazer o gol. Acredito que Daniel seja melhor como ala do que no meio-campo.

Crespo avançou em relação ao legado de Fernando Diniz, aumentando a capacidade defensiva do tricolor, com rápida recomposição e fechamento de espaços.

Abel Ferreira preferiu uma equipe mais retraída e assistiu o Palmeiras ser dominado a maior parte da partida. Zé Rafael foi mal e ele o manteve até o final. Sacou Luiz Adriano e demorou para colocar Weslei e Patrick de Paula. O Palmeiras só conseguiu um chute a gol, em lance individual de Scarpa para a única defesa de Volpi. 

Agora, tem a Libertadores da América, na próxima semana. O Palmeiras é o atual campeão, mas pode e precisa jogar mais. O SP estreia com entusiasmo pelo trabalho de Crespo e necessita de uma afirmarção para ganhar confiança. Os dois devem ser primeiros colocados dos seus grupos, ainda que o Palmeiras tenha caído de produção.