'D.P.A 3': Aventura no gelo e clima de despedida do elenco marca novo filme

·5 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Amizade, aventura e um clima de despedida. É isso que o público poderá conferir no filme "Detetives do Prédio Azul 3 - Uma Aventura no Fim do Mundo", longa dirigido por Mauro Lima e que chega aos cinemas nesta quinta-feira (21). A trilogia marca o fim do ciclo dos atores nos papéis principais após sete anos.

"Essa geração será sempre uma família. O filme encerra nossa passagem de maneira bonita. Ver o longa já bate uma nostalgia", afirma o ator Pedro Motta, que no "D.P.A" vive o detetive Pippo ao lado dos colegas de expedições Sol (Letícia Braga) e Bento (Anderson Lima).

"O 'D.P.A' foi meu primeiro trabalho grande na TV e mudou a minha vida. Ao sabermos que essa seria nossa última aventura juntos nos esforçamos para fazer o melhor trabalho possível. Para as crianças, a mensagem que será passada tem a ver com respeito e amizade acima de tudo", reforça Lima.

O filme foi todo gravado em 2019, antes de a pandemia paralisar todas as produções e adiar o lançamento nos cinemas. Por isso, quem for ver a história nos cinemas ainda verá os atores mais novos do que estão hoje. A atriz Letícia Lima é uma das que mais cresceram da filmagem para cá, mas conta que o longa já trazia tramas menos infantis para ela.

"Gostei da evolução da minha personagem com o tempo. Se antes brincava, agora apareço resolvendo os próprios problemas. A detetive Sol foi uma despedida e não fico triste por não fazer mais ela. Estará no meu coração sempre", garante ela.

No terceiro filme do "D.P.A", os detetives Pippo, Bento e Sol estão em apuros após Severino (Ronaldo Reis) encontrar a metade de um colar poderoso nos escombros de um avião. Esse acessório é, na verdade, a parte maldosa do "Medalhão de Uzur", responsável por controlar e manipular toda a magia do mundo.

Dessa forma, assim que ele coloca o artefato no pescoço, o porteiro, então querido pela criançada, se transforma em um maldoso ser humano cheio de ódio e rancor. A partir disso se inicia a saga do trio que viaja para o "fim do mundo", localizado na cidade de Ushuaia, na Argentina, numa aventura congelante para encontrar a outra metade (boa) do colar e acabar com o feitiço em Severino.

"A Sol é muito parecida comigo, é divertida, mas agora a pessoa que ela mais ama, o padrasto Severino, vira uma pessoa má e ela tem de tirar forças para suportar essa maldade. Esse foi o 'tchan' da minha personagem", explica Letícia.

Para triunfarem nessa aventura, os detetives contam com a ajuda da feiticeira Berenice (Nicole Orsini). "E no filme virei uma quarta detetive. Se em 'D.P.A 2' eles tinham de me salvar, agora minha feiticeira mostra um lado bom e que no fundo gosta dos detetives", comenta Nicole, outra atriz que se despede da franquia.

"Sou grata pela trajetória e ver as evoluções da Berenice me deixa feliz. Era para ser só uma participação em uma temporada, mas o púbico escolheu e eu fiquei fixa", afirma.

Até hoje, o "Detetives do Prédio Azul", que celebra dez anos de existência em 2022, já teve mais de 400 episódios no canal Gloob, espetáculos teatrais e três filmes. Parte do elenco desde o primeiro episódio da primeira temporada, o ator Ronaldo Reis, o Severino, conta que recebeu um grande presente nesse terceiro filme, já que ele é o ponto principal para o desenrolar de toda a história.

"Desde então a minha vida tem sido dedicada integralmente a tudo o que envolve o 'D.P.A'. Esse convite foi um voto de confiança. Fazer um vilão foi trabalhoso pelo sentido de ser mau o tempo todo. Nos dias de filmagem eu ficava retraído com pensamentos tenebrosos para passar de verdade essa maldade e energia duvidosa", explica ele sobre a técnica usada para deixar o bonzinho porteiro de lado.

Mas não é só dele a função de vilania do longa. A atriz Klara Castanho, 21, entra na trama como a vilã Dunhoca, que ao lado da mãe, Duvíbora (Alexandra Richter), quer atravessar os detetives e encontrar primeiro o colar misterioso para terem mais poder.

"Quando se entra em um projeto que faz sucesso existe uma responsabilidade. Até hoje, tudo o que fiz foi para o público mais adulto, então entrei nessa com um olhar diferente. E tenho a responsabilidade de ser odiada por crianças", diverte-se. O longa ainda tem participações especiais de Lázaro Ramos, Alinne Moraes e Rafael Cardoso.

"Detetives do Prédio Azul 3 - Uma Aventura no Fim do Mundo" é o primeiro filme infantojuvenil de Mauro Lima. "Recebi convite que foi peculiar e no começo me perguntei se eu seria o sujeito certo a estar à frente dele, mas foi uma das experiências mais prazeirosas da minha vida. O maior desafio foi encarar temperaturas de 10°C negativos no Ushuaia", afirma.

Ele diz que até mesmo equipamentos congelaram e que os atores tinham de usar três roupas para poder aguentar o frio. No dia em que eles chegaram teve até nevasca. O lugar foi o mesmo onde foi filmado o filme "O Regresso" (2015), que deu o Oscar a Leonardo DiCaprio. "A diferença é que eles ficavam o dia todo para gravar uma cena de 20 segundos e nós gravávamos 10 páginas", brinca Lima.

*

"DETETIVES DO PRÉDIO AZUL 3 - UMA AVENTURA NO FIM DO MUNDO"

Quando A partir desta quinta (21)

Onde Nos cinemas

Classificação Livre

Autor Flávia Lins e Silva, Renê Belmonte e Mauro Lima

Elenco Leticia Braga, Pedro Henriques Motta, Anderson Lima, Nicole Orsini, Ronaldo Reis e outros

Produção Marcio Fraccaroli e Sandi Adamiu

Direção Mauro Lima

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos