Curador-adjunto da Bienal de São Paulo passa a integrar a equipe do Centro Pompidou

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Curador-adjunta da Bienal de São Paulo, Paulo Miyada. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Curador-adjunta da Bienal de São Paulo, Paulo Miyada. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O curador e pesquisador paulistano Paulo Miyada vai passar a atuar como curador-adjunto dedicado à arte latino-americana para o Centro Pompidou, de Paris. Sua contratação foi finalizada em junho e divulgada nesta quinta (1°).

“Esse convite foi recebido com entusiasmo pela oportunidade de refletir criticamente sobre as virtudes e as lacunas de uma coleção que faz parte da própria formação da história da arte moderna e contemporânea”, diz ele.

“Um museu com a envergadura do Pompidou deve fazer mais do que perseguir obras sobre as quais há décadas de consenso, se propondo a contribuir para o reconhecimento de trajetórias e poéticas que por toda sorte de motivos estiveram até agora deixadas à margem da história da arte oficial.”

Miyada é atualmente curador do Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, e também curador-adjunto da próxima edição da Bienal de São Paulo, que abre em setembro.

Ele estará em contato direto com o curador Frédéric Paul, que já se encarregava de parte das pesquisas sobre o continente, e com o Círculo Internacional da América Latina, parte da Sociedade de Amigos do Centro Pompidou.

Localizado na região central de Paris, o Pompidou é o museu de arte moderna e contemporânea mais importante da França e uma das instituições de arte mais visitadas do mundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos