Cuba Gooding Jr. começa a ser julgado em outubro por apalpar mulher em bar

Por Brendan Pierson

Por Brendan Pierson

NOVA YORK (Reuters) - O juiz Herbert Moses, da Suprema Corte de Manhattan, escolheu nesta terça-feira a data de 10 de outubro para o julgamento do ator Cuba Gooding Jr., que foi acusado de apalpar um mulher em um bar de Manhattan, na cidade norte-americana de Nova York, em junho.

Gooding aparentava calma durante sua breve aparição no tribunal. Seu julgamento havia sido programado para começar nesta terça-feira, mas os procuradores disseram que precisam de mais tempo para reunir provas de vídeo e entregá-las aos advogados de Gooding.

    Seu advogado, Mark Heller, disse aos repórteres após a audiência que acredita que os procuradores estavam "tentando procrastinar" porque a acusadora do ator não está cooperando com ele.

    "Cuba está extremamente confiante de que seu caso será descartado", disse Heller. "Cuba assume a posição, como também nós, de que é alguém que nunca deveria ter sido processado."

    Gooding, de 51 anos, foi acusado da contravenção de toque forçado depois que uma mulher não identificada disse que o ator tocou seus seios. Ele negou a alegação.

    O artista, que é divorciado, é um das dezenas de homens da política, do entretenimento, dos esportes e dos negócios que foram acusados de má conduta sexual desde que alegações contra o produtor de cinema Harvey Weinstein desencadearam o movimento #MeToo.

    Weinstein deve ir a julgamento em Nova York no final deste ano devido a acusações de estupro e sexo oral forçado envolvendo duas mulheres. Ele negou qualquer relação sexual não-consensual.

    Gooding recebeu um Oscar de ator coadjuvante em 1997 por "Jerry Maguire: A Grande Virada" e fez papéis em "Questão de Honra", "O Mordomo da Casa Branca" e na minissérie "American Crime Story: O Povo contra O.J. Simpson".

    (Por Brendan Pierson em Nova York)