Cristiano Ronaldo se sente 'traído' pelo Manchester United em 'período mais difícil' da vida

Cristiano Ronaldo se sente 'traído' pelo Manchester United em 'período mais difícil' da vida
Cristiano Ronaldo concedeu uma nova entrevista sincera sobre suas lutas credit:Bang Showbiz
Cristiano Ronaldo concedeu uma nova entrevista sincera sobre suas lutas credit:Bang Showbiz

Cristiano Ronaldo se sente "traído" pela forma como foi tratado pelo Manchester United.

O jogador voltou ao clube inglês no ano passado para sua segunda passagem como atacante depois de ter saído em 2009, mas 2021 foi atormentado por maus resultados e rumores de problemas fora de campo. Durante um novo episódio do programa 'Piers Morgan Uncensored’, da TalkTV, Ronaldo disse ao apresentador que ficou magoado com o tratamento que recebeu na equipe.

Ronaldo criticou o atual técnico Erik ten Hag, que suspendeu o craque e o multou por se recusar a entrar como substituto tardio em um jogo contra o Tottenham Hotspur no mês passado e, então, abandonar o campo antes do fim da partida.

Ele disse sobre ten Hag: "Eu não tenho respeito por ele porque ele não mostra respeito por mim. Se você não tem respeito por mim, eu nunca vou ter respeito por você."

Ronaldo acrescentou: "Algumas pessoas não me querem aqui - não apenas o treinador, mas os outros dois ou três caras. Não apenas este ano, mas também no ano passado. Honestamente, eu não deveria dizer isso. Mas ouça, não me importo. As pessoas deveriam ouvir a verdade. Sim, me sinto traído."

O jogador de futebol descreveu esta fase atual como o "período mais difícil da minha vida", tanto profissionalmente quanto pessoalmente, após a perda de seu filho com a parceira Georgina, que morreu durante o parto em abril. A irmã gêmea do menino sobreviveu, mas a família ficou devastada com a tragédia.

Ronaldo alegou que sentiu falta de "empatia" dos dirigentes do clube depois que decidiu ficar com sua filha quando ela foi hospitalizada no verão, em vez de participar dos treinos de pré-temporada. Ele até sugeriu que alguns no clube duvidaram de suas razões para não retornar, o que o deixou se sentindo "magoado".