Cresce número de mulheres na direção de grandes filmes pelo terceiro ano consecutivo

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As mulheres representaram 16% dos diretores que trabalharam nos cem filmes de maior bilheteria em 2020, segundo levantamento do Centro para o Estudo das Mulheres na Televisão e no Cinema da Universidade Estadual de San Diego. O dado é considerado um recorde da participação feminina atrás das câmeras. Em 2019, o número foi de 12%, e apenas de 4% em 2018. "A boa notícia é que agora vimos três anos consecutivos de crescimento para as mulheres que dirigem", disse Martha Lauzen, diretora do centro de pesquisa. "Isso quebra um padrão histórico recente em que os números crescem em um ano, mas caem no próximo. A má notícia é que cerca de 80% dos melhores filmes ainda não têm uma mulher no comando." Esse crescimento ocorreu em um ano atípico em que diversas grandes bilheterias foram adiadas para 2021, lembra reportagem da revista americana Variety, que divulgou a pesquisa com exclusividade. Entre os títulos que ainda devem ser lançados, "The Eternals", de Chloe Zhao, e "Black Widow" de Cate Shortland. Zhao dirigiu o aspirante a Oscar "Nomadland", enquanto outras mulheres cineastas como Cathy Yan ("Aves de Rapina") e Patty Jenkins ("Mulher Maravilha 1984") supervisionaram alguns dos lançamentos de maior perfil do ano. "Emma", inspirado no romance homônimo de Jane Austen (1775-1817). e dirigido pela norte-americana Autumn de Wilde também está entre os filmes de mais sucesso dessa lista. Há ainda "Retrato de Uma Jovem em Chamas", da francesa Céline Sciamma, e "O Ritmo da Vingança", de Reed Morano. Os números cresceram em outras funções. Nos cem filmes de maior bilheteria do ano, as mulheres ocuparam 28% dos cargos de produtoras e 21% dos cargos de produtoras executivas, um aumento de dois pontos percentuais em ambas as categorias. O estudo também descobriu que os filmes com pelo menos uma diretora feminina têm muito mais probabilidade de contratar mulheres para serem editoras, cineastas, entre outras funções importantes nos bastidores. Mais de 53% dos filmes dirigidos por mulheres, tiveram também roteristas do mesmo gênero. Já nos filmes com diretores exclusivamente homens, as mulheres representavam 8% entre os roteiristas. As mulheres foram editoras em 39% dos filmes com cineastas mulheres, e apenas 18% dos filmes com homens. Elas compuseram trilhas sonoras para 13% dos filmes dirigidos por mulheres, e apenas 4% dos filmes de cineastas homens. Embora a indústria tenha progredido, a maioria dos filmes (67%) empregou de zero a quatro mulheres em funções importantes nos bastidores. Em contraste, mais de 70% dos filmes principais empregaram 10 ou mais homens como diretores, escritores, entre outras posições importantes. "Esse desequilíbrio é impressionante", disse Lauzen.