Com UTIs perto do limite, São Paulo considera decretar lockdown

Possibilidade de decretar o fechamento total do comércio não está descartada, segundo Doria. (Foto: AP Photo/Andre Penner)

A situação da cidade de São Paulo no combate à pandemia do novo coronavírus se aproxima de um cenário de decretação de lockdown - o fechamento total das atividades comerciais -, segundo avaliação do próprio governo do estado.

A consideração da possibilidade de lockdown foi colocada tanto pelo governador João Doria (PSDB) quanto pelo coordenador do Comitê de Contingência de Combate ao Novo Coronavírus, Dimas Covas.

Leia também

“Não está descartado o lockdown em São Paulo, na capital ou nas outras cidades, mas neste momento não há essa perspectiva, de imediato não. Somente se essa for uma alternativa recomendada ao setor de Saúde”, afirmou Doria.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

“Estamos reunindo os critérios (em São Paulo) para começar a considerar essa possibilidade (de decretar o lockdown). Tem que ser considerada sim (essa possibilidade”, completou Dimas Covas.

Seriam dois os critérios, segundo ele, que aproximariam a cidade de São Paulo do fechamento completo das ruas e proibição de circulação de pessoas: as altas taxas de ocupação nos leitos de UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo), e taxa de transmissão do vírus acima de 1, que indica que cada pessoa infectada transmite para, ao menos, uma nova pessoa.

“Esses são critérios internacionais e a associação desses fatores é o que determina o lokcdown. No momento estamos próximos a 90% e taxa de transmissão mais de 1”, finalizou Covas.

A taxa de ocupação das UTIs na Grande São Paulo é 87,2%, bem próximo dos 90%. No estado todo, essa taxa cai para 68,3%. A taxa de contágio é considerada de 1,49 para o estado e de 1,44 mais especificamente para a cidade de São Paulo.

ISOLAMENTO SOCIAL EM QUEDA

O único fator, na avaliação do coordenador do comitê, que poderia provocar um distanciamento da cidade de São Paulo do lockdown seria um aumento nas taxas de isolamento social. “Essa é a única variável que poderíamos influenciar. Se a população entender que é importante (ficar em casa), teremos um reflexo em 15 ou 20 dias, e aí afastamos a possibilidade de haver tranca-rua”, explicou Covas.

No entanto, a taxa de isolamento social na capital tem se mantido abaixo do patamar de 55% - considerado ideal pelo próprio governo do estado - há 10 dias. No dia 3 de maio, essa taxa foi de 58%. Já nesta terça-feira, a estimativa foi de 48,4% na capital, e 47% no estado todo.