Covid-19: moradores da favela carioca têm sido ainda mais afetados pela crise econômica

Nas favelas, a maior parte da população é de baixa renda, dividida entre assalariados, autônomos e informais, principais afetados nessa crise. (Foto: AP Photo/Silvia Izquierdo)

por Juliana Rangel

O isolamento social, medida adotada para evitar a propagação do novo coronavírus, tem afetado a economia ao redor do mundo, dos pequenos comércios e serviços aos grandes varejistas, todos sofreram prejuízos.

Mas nas comunidades, como é o caso da Vila Cruzeiro, localizada na zona norte do Rio de Janeiro, a situação é ainda pior. A maior parte da população é de baixa renda, dividida entre assalariados, autônomos e informais, principais afetados nessa crise.

Pensando nesse fato, alguns coletivos e ONGs iniciaram campanhas de apoio a essa população em situação de vulnerabilidade social. Entre elas, o Voz das Comunidades, que com a campanha Pandemia com Empatia pretende arrecadar 5 mil cestas básicas para serem distribuídas no Complexo do Alemão e Penha. 

Além das instituições, muitas pessoas estão se propondo a ajudar. É o caso da Renata Walcarenghi Marra e sua mãe Jane Marra. As professoras estão oferecendo aulas na modalidade online, de Português e Inglês por um preço acessível e todo lucro será doado para famílias do Complexo da Penha, na zona norte carioca, o qual abriga cerca de 47 mil habitantes, de acordo com o censo do IBGE de 2010. 

As aulas custam dez reais e devem ser agendadas diretamente pelo WhatsApp da Professora Renata. De acordo com ela, o curso pode ser ministrado por qualquer plataforma de vídeo que o aluno tenha acesso e saiba usar, o horário também é flexível, portanto, deve ser combinado entre alunos e a professora. “Vi pessoas trocando trabalho por ajuda durante essa pandemia e pensei no que poderia oferecer.” afirma Renata.

Formada em língua portuguesa, literatura e inglês há 20 anos, a linguista Renata fundou seu próprio curso de inglês em 2007, o Marra English Course. Mas, a ideia de ajudar a comunidade surgiu com a pandemia e, por isso, Renata não pensou duas vezes e começou a oferecer as aulas online por conta própria e ainda incentivou sua mãe, também professora a ajudar. As primeiras aulas realizadas para a arrecadação de fundos ocorreram no final de março e estão sendo divulgadas nas redes sociais pessoais das professoras e na página do facebook Vila Cruzeiro.

“Eu acompanho muito de perto as demandas dos meus alunos, também já ministrei aulas há muitos anos no Complexo do Alemão e eu vejo a situação dos estudantes, o que eles precisam, os problemas sociais que os cercam.” lembra.

Todo o dinheiro arrecadado nas aulas online de inglês e português será repassados para Claudia Sacramento, residente da Vila Cruzeiro há 50 anos e administradora da página do facebook Vila Cruzeiro. A moradora fornece assistência financeira a diversas vizinhos e comenta que o trabalho de apoio às famílias carentes triplicou com a pandemia do novo Coronavírus. “Com o dinheiro arrecadado pela Renata tenho comprado alimentos, remédios e gás para as famílias assistidas. Muitas pessoas me procuram porque precisam de ajuda e eu também vou até os locais mais carentes da comunidade.” - assegura Claudia.

Um dos alunos da professora Renata, Daivson Batista, morador da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, conhece muito de perto as dificuldades enfrentadas pelos moradores. Além de reafirmar a importância da ajuda financeira nas favelas também fora da crise.

“Essas comunidades já sofrem imensamente sem a pandemia, devido às omissões do Estado. E nesse momento, a situação está se agravando muito, já que vários moradores não tem o que comer, quem dirá podem comprar álcool em gel.”- afirma o aluno.

Ele ainda lembra que o curso é uma boa oportunidade de aprender inglês durante a quarentena. Já que, o mercado tem cada vez mais requerido um segundo idioma da força de trabalho. Mas, a maior parte das pessoas não tem acesso a cursos de idiomas pagos e as escolas não oferecem um ensino de inglês adequado.

De acordo com uma projeção da GO Associados feita para a Revista Exame, a pandemia pode acarretar mais 5 milhões de desempregados no Brasil. Por isso, a solidariedade tem sido tão importante para todos, ainda mais nas periferias.

“As comunidades são muito potentes, existe dentro delas pessoas preocupadas com as demandas sociais e culturais. E essas ações são reforçadas em momentos de crise.” - conta o Daivson.

Para você apoiar o projeto da professora Renata, e ainda aprender inglês ou se aperfeiçoar no português, entre em contato pelo aplicativo de mensagens usando o número (21) 99214-2778.